05 setembro 2006

Filha de Ciro Gomes não quer saber de política

ESSA É A FOTO da noite. Lívia, filha do ex-ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, com a senadora Patrícia Saboya. A bela nasceu no Ceará. Subiu em palanques, arregaçou as mangas e trabalhou em campanhas da mãe. É boa de microfone, a política corre nas veias. Largou a publicidade para fazer faculdade de moda. Seu carisma e o biotipo lhe renderam até liderança nas pesquisas para vereadora de Fortaleza. Uma pena que ela queira distância de política. Poderíamos ter, em lugar de lama, mulher bonita na Câmara!

Amurc sai de fininho

Enquanto a Assembléia Legislativa dá início aos trabalhos da CPI da vassoura-de-bruxa, um aliado de peso se prepara para sair mais cedo da festa. E não será à francesa.

A verdade é que o presidente da Amurc, Pedro Jackson Brandão (Pedrão) tem dito para auxiliares mais próximos que está, popularmente falando, de "saco cheio" dessa história de terrorismo biológico. Entre os motivos de sua irritação, estão as reuniões intermináveis, onde sobram teses mirabolantes e faltam argumentos sólidos. O que é pior: as tais reuniões costumam se arrastar até tarde da noite.

Pedrão retornou semana passada à Amurc, após um período de afastamento por motivo de doença. Quem o substituiu no comando foi a prefeita de Camacan, Débora Borges, aliada de armas do prefeito de Itabuna, Fernando Gomes, na estratégia para enquadrar Geraldo Simões como o Bin Laden do cacau.

Débora continua engajada no movimento, mas já não tem a cadeira de presidente. E o dono da cadeira acha que o espetáculo está ficando totalmente sem graça. Não é só ele.

Fernando promete 70% dos votos a Alckmin

Na euforia da visita de um presidenciável, o prefeito itabunense Fernando Gomes prometeu uma vitória arrasadora a Geraldo Alckmin em terras grapiúnas. Sem modéstia, algo como 60% a 70% dos votos dos eleitores de Itabuna ao tucano. E olhe que ACM referendou a promessa...

Mas vamos à realidade. Um passarinho nos contou que a situação mais recente em Itabuna dá algo em torno de 65% para Lula e apenas 16% a Alckmin. Os números definitivos dessa pesquisa feita para consumo interno ainda não são conhecidos porque ela se deu no sábado e domingo e está em fase final de tabulação. Por enquanto, se repete aqui o cenário daquilo que ocorre em toda a Bahia e na região Nordeste.
Esperemos os próximos atos.

Lula, o candidato-fermento


A pesquisa Datafolha mostra que o presidente Lula tá igual a fermento - se bater, cresce mais. Em vez de cair com a carga de propaganda negativa dos adversários, ele saiu de 50% para 51% das intenções de votos. Já o tucano Geraldo Alckmin se manteve nos 27%. Heloísa Helena caiu de 10% para 9% e Cristovam Buarque se manteve com 1%. Foram entrevistados 7.724 eleitores em todo o País.

Delegado regional na mira da OAB-Itabuna

A subseção Itabuna da OAB decidiu partir para o ataque contra o delegado regional da Polícia Civil, Nélis de Araújo. Em entrevista a um jornal local, Nélis culpou "todos" advogados pelo aumento da impunidade em Itabuna ao recorrer à soltura "desregrada" de detidos. Na ofensiva, a Ordem dos Advogados do Brasil coloca o delegado na parede ao exigir que ele "esclareça as razões que o conduziram a prestar tão repugnante declaração e nomine os possíveis advogados que agiram em detrimento do Estatuto do Advogado".

Se Nélis conseguir nominar, sai por cima. Caso contrário, a reação prometida não deixará por menos a afirmação do delegado regional. Mas, primeiro, a Ordem dará ao delegado o direito à "ampla defesa e ao contraditório". Nélis chegou em Itabuna desmantelando quadrilhas de combustíveis e de desmanche de carro e baixou a níveis consideráveis o número de homicídios - além de tudo, é bacharel em Direito. Deve saber o que diz.

PM 'relaxa' e bandidos voltam a atacar

A Polícia Militar relaxou na seqüência de blitzen e o resultado foi o crescimento de homicídios e, agora, a volta de um crime pouco comum em Itabuna nos últimos dois anos, o seqüestro. O último deles aconteceu no final de semana e teve como vítima o médico Carlos Alberto Alves. Ele reside na cidade há três anos. O seqüestro ocorreu na madrugada de domingo. Felizmente, o crime foi elucidado e o médico passa bem.

Nos últimos dois finais de semana, a polícia registrou sete homicídios em Itabuna. O número é comparável ao período crítico da segurança pública no município - entre os meses de fevereiro e maio. Afinal, não é por menos que a cidade figura no ranking das mais violentas do País. Ou a PM volta a agir ou então... o crime agradece!

CPI da Vassoura será instalada hoje


A Assembléia Legislativa instala hoje, às 10h, a CPI do Cacau, criada para investigar a denúncia, publicada na revista Veja, de que a praga vassoura-de-bruxa foi disseminada de forma criminosa. O deputado Fábio Santana será relator da CPI e Heraldo Rocha, o presidente. Isso de acordo com articulações da bancada carlista.

A CPI terá como alvo principal o petista e candidato a deputado federal Geraldo Simões, tido como o mentor da sabotagem biológica, segundo denúncia do administrador de empresas Luiz Franco Timóteo. Pelo período em que a CPI está sendo instalada (às vésperas da eleição) e pelos comandantes já previamente definidos, há risco das investigações se transformar em circo, tal qual o Levante da Amurc.

04 setembro 2006

Itabuna cresce menos e perderá FPM

Os números da "Estimativa IBGE" terão reflexos nos repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) feitos diretamente da União às prefeituras. A notícia de crescimento de Juazeiro acima do esperado é ruim para os cofres do poder público local em Itabuna. Tudo isso porque os recursos do FPM são distribuídos com base no número de habitantes dos municípios. Itabuna, hoje, teria 204.988 habitantes, contra 207.969 de Juazeiro, agora elevado a quinto maior contingente populacional da Bahia. O baque somente não é maior porque a atualização se dá, até onde se sabe, a cada dez anos. Existe projeto de lei complementar que visa reduzir este tempo para cinco anos.

Juazeiro supera Itabuna em habitantes

-Itabuna cresce bem menos que Juazeiro

Juazeiro está entre os municípios que mais cresceram nos últimos 12 meses em número de habitantes. Saiu de 203.261 para 207.969 habitantes. Tomou a posição de Itabuna e passou a 5º maior município baiano. A novidade expressada na Estimativa IBGE 2006 reflete os investimentos privados e públicos feitos naquela região do estado, principalmente em agricultura irrigada. Enquanto isso, Itabuna e o sul da Bahia ficam a mendigar esmola e não acompanham o ritmo de crescimento de outras regiões do estado. O crescimento de Juazeiro é ainda maior se o espaço de tempo desta pesquisa for entre 2000 e 2006 (quando saiu de 174.567 residentes para os 207.969 agora). O ranking dos 10 maiores municípios pode ser conferido no post abaixo.

As maiores cidades da Bahia

Depois de publicar - com exclusividade - as estimativas populacionais de Itabuna, Ilhéus e 13 municípios sul-baianos, este blog mostra quais são as maiores cidades do estado, segundo a publicação Estimativa IBGE 2006. Salvador é, de longe, a que mais tem habitantes. Mudanças podem ocorrer, para futuro, entre os dez primeiros municípios. Aliás, já ocorreram, como informado no post acima.

Ranking das maiores cidades*

Salvador - 2.711.372
Feira de Santana - 535.284 (jul/06)
Vitória da Conquista - 289.772
Ilhéus - 220.943
Juazeiro - 207.969 (jul/06) (6º em 2005, com 203.261)
Itabuna - 204.988 (5º em 2005, com 203.816)
Camaçari - 196.798 (jul/06)
Jequié - 148.984 (jul/06)
Alagoinhas - 139.723(jul/06)
Barreiras - 137.794 (jul/06)

Sanguessuga "de Cristo" não tem poder


Defenestrado da política como um dos mais ativos sanguessugas do Congresso Nacional, o deputado federal Reginaldo Germando (PP) está investindo na reconstrução de suas bases em um terreno onde se acostumou a andar: a exploração da fé.

O parlamentar estabeleceu templo religioso no centro de Itabuna - mais precisamente na Avenida Ilhéus -, sob o comando de seu filho. Ali, acalenta seu rebanho e o sonho de recuperar prestígio político. Difícil.

A desmoralização imposta a Germano foi muito grande e a verdade é que sua igreja anda meio vazia e a cooptação religiosa do deputado tende a fracassar. Aliás, é sua carreira política que escorre pelo ralo.


Germano foi alçado à política a partir de um apoio decisivo da Igreja Universal do Reino de Deus, do bispo Edir Macedo. À época, ele até usava um nome diferente: era Reginaldo de Jesus. Mais profano e mundano, o deputado trocou de nome e já não conta mais com nenhum prestígio junto à IURD.

Está longe do Reino de Deus e, muito provavelmente, mais longe ainda de outro mandato parlamentar.

03 setembro 2006

De filho a pai, o renascer dos Carneiros

A edição de final de semana do jornal Valor Econômico traz reportagem especial sobre o "renascimento" da família Carneiro na política baiana. Depois de aclamado o deputado estadual baiano mais bem votado em 2002, João Henrique foi ungido prefeito de Salvador com mais de 75% dos votos em 2004. Dois anos depois, três irmãos, a esposa e o pai de João estão à caça de votos. A reportagem do Valor é uma aula de jornalismo e, também, de pesquisa histórica.

O pai João Durval, ex-governador baiano e ex-aliado de ACM, disputa vaga ao senado e, segundo as pesquisas, só Imbassahy pode tirá-lo da terceira vaga baiana no Senado Federal. O irmão Sérgio Carneiro disputa, pelo PT, uma vaga como deputado federal. A esposa do prefeito, Maria Luísa, e o irmão Luís Alberto disputam vaga no legislativo estadual, ambos pelo PDT.

Principal jornal de economia do Brasil, o Valor diz que, aos poucos, está sendo criada condição para os Carneiros rivalizarem em força com o senador Antônio Carlos Magalhães. E a Bahia, caminharia para cair nos braços e nas mãos de outra "oligarquia"??? É dose demais, não?

Matéria completa no site do Valor: www.valor.com.br

Deu na Folha

"Turbinado. O PFL ficou eufórico com o discurso feito por Alckmin na quinta-feira em Itabuna, carregado de ataques ao governo Lula. "O chocolate do sul da Bahia encheu o Geraldo de energia", comemora o deputado ACM Neto."

Cá prá nós: bater até que ele bateu, mas não empolgou. O sotaque paulista do homem e o jeitinho professoral atrapalham demais. E a assessoria do tucano chamar Ceplac de Seplac foi outra bola fora.

ACM, enfim, vai partir o bolo...


"Os amigos e admiradores do Senador Antonio Carlos Magalhães convidam para a missa em ação de graças pela passagem do seu aniversário, nesta segunda-feira, dia 04 de setembro, às 10 horas, na igreja da Venerável Ordem 3º do Rosário de Nossa Senhora às Portas do Carmo (Largo do Pelourinho)."

Geraldo Simões, do PT, obtém direito de resposta no jornal de ACM

O Tribunal Regional Eleitoral obrigou o Correio da Bahia a publicar direito de resposta do PT e do ex-prefeito Geraldo Simões. Em sua última edição, o jornal da família do senador ACM teve que ceder um quarta da primeira página para publicar a resposta do candidato petista e do seu partido. Na ofensiva, a nota extensa e de 13 parágrafos diz que o Correio faz "terrorismo jornalístico".

O direito de resposta se deve a matérias consideradas "caluniosas e injuriosas" cometidas pelo jornal contra Geraldo e o PT, nos últimos meses e às vésperas das eleições, ligando-os à sabotagem biológica que quase destruiu por completo a lavoura cacaueira sul-baiana.

O conteúdo da série de matérias reunidas pelos petistas teve como ponto de partida reportagem da revista Veja de junho, em que Luiz Franco Timóteo confessa que trouxe a vassoura-de-bruxa para a região. Dizia que Geraldo e outros petistas regionais, como Josias Gomes, também participaram da "empreitada". Simões teria sido, nas palavras de Timóteo, o líder da sabotagem, enquanto o próprio denunciante se limitava a cumprir ordens.

Apesar de confessar participação, Timóteo, tido como "réu-confesso" de um crime até agora sem provas, circula livre e desenvolto em Itabuna e dá palestra a produtores de cacau e políticos pefelistas, como aconteceu na sede da Amurc, a associação de prefeituras sul-baianas, há duas semanas. Geraldo se defende das acusações. Para o ex-prefeito, tudo não passa de armação política. O certo é que até agora não há nenhuma prova que ligue o petista ao crime. Quanto ao direito de resposta no Correio da Bahia, incluímos, abaixo, cópia da primeira página do jornal (o espaço da resposta está destacado).

Chapéu de couro

Bastou ao Geraldo, o Alckmin, estar ao lado do prefeito Fernando Gomes ( este último numa bela camisa listradinha azul)...

... e já mudou o estilo 'coroinha". Apareceu no Rio Grande do Sul com um belo chapéu de couro.

02 setembro 2006

O Luxemburgo do cacau


Badu ganhou seus 15 minutos de fama ao aparecer em rede estadual de tevê trajando-se a la Wanderley Luxemburgo. Faz três meses e, à época, o ex-jogador treinava o time júnior do Itabuna Esporte Clube. Não importa qual o nível do torneio e lá vai Badu trajando seus indefectíveis ternos. O sonho é chegar a um Zegna ou Armanni, tornar-se um Luxemburgo (no salário também!).

Enquanto não dá, veste-se como técnico da Seleção de Itabuna no Intermunicipal de Futebol. Amanhã o treinador e sua equipe enfrentam o selecionado de Una, às 15h, no estádio Luís Viana Filho. A equipe soma quatro pontos na sua chave, um deles conquistado contra Ilhéus, dentro do Mário Pessoa. "Colocamos Ilhéus no bolso. Eles deram sorte num dos gols. Por isso, empataram", disse o animado Luxemburgo do Cacau.

Grande figura esse Badu!

Foto da Noite: a alegria e a pança de Wagner

A imagem acima traz, em primeiro plano, o deputado estadual Edmon Lucas ao lado dos petistas históricos Jaques Wagner e a advogada itabunense Raimunda Crispim. Esta foto de Manu Dias dá a dimensão exata da frase de Jamelão, quando descreveu a euforia de Bill Clinton ao visitar a Mangueira: "está mais feliz do que pinto no lixo". Pois é. Em Itabuna o candidato a governador do PT não cabia em si de tanta alegria. Um mar de gente, né? Agora, olha a pança do candidato!!!

Em Itabuna, Wagner responde ao PFL. Batendo!


Na passagem de Jaques Wagner por Itabuna, a tônica foram os ataques-resposta aos pefelistas ACM e Paulo Souto, que no dia anterior visitaram a cidade em companhia do presidenciável tucano Geraldo Alckmin e foram assistidos por um público de 4 mil pessoas no São Caetano, de acordo com o jornal A Região (3 mil, segundo a assessoria de Alckmin). Tendo outro Geraldo, o Simões, como anfitrião, Wagner estava mais feliz que "pinto no lixo" com o banho de povo que recebeu na cidade. Revigorou-se para responder aos pefelistas.

Segundo os jornais A Tarde e Diário do Sul, mais de 10 mil pessoas participaram do ato de Wagner em Itabuna. Na caminhada pela Cinquentário e encerramento com ato na praça Adami, o petista lamentou os ataques sofridos, o que acredita ser reflexo direto do crescimento de sua candidatura. Lá pelo meio do discurso, afirmou que a sua (dele, claro!) serenidade não é sinônimo de covardia. "Não sou valente e não sou covarde", avisou. O termo "serenidade" foi o mais ameno - e um pouco distante - encontrado pelo candidato petista para substituir o adjetivo que ACM quer lhe pespegar - "preguiçoso".

Ao questionar os quase 40 anos de domínio do carlismo na Bahia, lembrou que órgãos importantes para o desenvolvimento do Nordeste não estão localizados no estado, a exemplo do Banco do Nordeste (Ceará) e Chesf e Sudene (Pernambuco). "Eles governam para poucos. Nunca marcaram uma audiência sequer com o presidente Lula para defender interesses da Bahia".

Sessão Caras...




Entre dois fenômenos
João Santana, o marqueteiro de Lula, tem vivido entre dois fenômenos. Um – Lula – só lhe dá alegrias, porque segue bem avaliado, apesar do mensalão e outros escândalos. Outro – Ronaldo, o camisa 9 do Real Madrid – só lhe traz preocupação, desde que há um mês começou a namorar sua enteada, Alice, de 22 anos. "Esse namoro me estressa mais do que a campanha de Lula", disse Santana a um amigo na semana passada. (Coluna Radar, Veja, 06/09)

A PF e o álibi ético de Lula*

"Com a megaoperação deflagrada ontem pela Polícia Federal, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ganhou mais um trunfo na eleição deste ano.
Desarticulou um dos braços financeiros da facção criminosa PCC e, de quebra, "passou a perna" na polícia de São Paulo. A imagem que fica é a de que seu governo fez o serviço que a turma do secretário Saulo de Castro Abreu Filho -leia-se a turma do ex-governador e presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB)- não conseguiu.
Mais do que isso, ao desbaratar a quadrilha de roubo a banco da organização criminosa, pode ainda ter tirado a sorte grande, fisgando um dos envolvidos no rumoroso seqüestro do jornalista Guilherme Portanova e do auxiliar técnico Alexandre Calado, da TV Globo.
Pouco importa que a Polícia Federal esteja há mais de um ano literalmente correndo atrás da quadrilha, a mesma que furtou o Banco Central de Fortaleza (CE), e que até agora não tenha conseguido recuperar quase nada.
Dos R$ 164,8 milhões furtados no maior assalto da história do país, apenas R$ 18 milhões foram resgatados pela Polícia Federal. Alguns dos quais, é necessário lembrar, achados por garotos depois que uma bola de futebol caiu numa casa abandonada. Uma piada.
Em ano de eleição presidencial, o que vale mesmo é o marketing político, o discurso. Lula, que já tem enorme vantagem nas pesquisas sobre Alckmin, ganhou mais essa.
Feriu o PCC e esvaziou a constatação tucana -verdadeira- de que a facção criminosa nascida nas penitenciárias do Estado se fortalece com as armas e drogas que a PF não vê passar pelas fronteiras.
Entre janeiro e julho, vale o registro, foram apreendidas apenas 107 armas -coincidência ou não, fronteira é um assunto que não dá tanta mídia.
O presidente da República, que não tem respostas para o mensalão e para as incontáveis denúncias contra a velha companheirada do PT, prefere se agarrar às espetaculosas ações especiais da PF -de janeiro de 2003 até o início de agosto já foram quase 280 (no segundo mandato de FHC, cerca de 60).
Se o Bolsa-Família é o principal cabo eleitoral de Lula, as operações da PF se transformaram no seu contra-argumento, no seu único álibi ético."

* Análise de Rogério Gentile, editor do caderno Cotidiano, da Folha de São Paulo.
Publicada na FSP deste sábado.

NÃO DEIXE DE CONFERIR

Este blog publica notícia exclusiva sobre a Estimativa IBGE para as populações de Ilhéus, Itabuna e mais 13 municípios sul-baianos. Os dados surpreendem. Revelam que o contingente populacional da região murchou nos últimos 12 meses. São reflexos da crise do cacau e da redução da taxa de natalidade brasileira. Poucas cidades cresceram. Confira, logo abaixo.

Comícios e a briga dos números

Com o anunciado "fim" dos comícios, os candidatos se esforçam para dizer quem levou mais gente às ruas. Não foi diferente em Itabuna. Quinta-feira, à noite, o presidenciável Geraldo Alckmin esteve por aqui escoltado por ACM, Paulo Souto e toda a trupe pefelista.

O site de Alckmin (www.geraldo45.org.br) diz que levou 3 mil pessoas ao evento no São Caetano. O site de Paulo Souto (www.paulosouto25.com.br) foi bem além da realidade. Cravou o simbólico "10 mil pessoas".

Abaixo, reprodução do que dizem os sites de Alckmin e Souto.

Souto:
"O governador contou ao público, estimado em cerca de 10 mil pessoas pela Polícia Militar, que o atual governo não tem ajudado os Estados a criar empregos. Como exemplo, citou os recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que deveriam ser utilizados no treinamento de mão-de-obra."

Alckmin:
"Em visita a cidade de Itabuna, Bahia, ontem (31/08), Geraldo Alckmin falou para cerca de três mil pessoas sobre suas propostas para o Brasil crescer e sobre as políticas regionais para gerar emprego e renda e promover o desenvolvimento regional."

Agora vamos esperar para ver o que dizem os petistas sobre a caminhada de ontem à tarde na Av. do Cinquentenário, com Geraldo Simões e Jaques Wagner. O evento teve mais que o dobro de público do evento tucano/pefelista. É esperar para ver o que dizem eles. Vão exagerar também?

Briga boa...

A Tarde 02/09/06
Ato do PT supera tucano em Itabuna
ANA CRISTINA OLIVEIRA | SUCURSAL DE ITABUNA
anaco@grupoatarde.com.br

Um dia depois que o candidato do PSDB à presidência da República, Geraldo Alckmin, passou por Itabuna e não conseguiu entusiasmar seis mil pessoas que foram ao comício mesmo acompanhado de ACM, Paulo Souto e toda a cúpula pefelista cerca de 10 mil militantes petistas fizeram festa e pararam o centro da cidade, na tarde de ontem, para saudar o candidato ao governo baiano, Jaques Wagner.

Alckmin chegou à noite e se foi como um meteoro. Passou apenas pelo aeroporto de Ilhéus e ficou pouco mais de duas horas no comício em Itabuna. Criticou a ineficiência do governo Lula e creditou o pífio crescimento do Brasil em 0,5%, no trimestre, à política de juros altos do PT, o que, na sua análise, gerou apreensão ao comércio, indústria e a agricultura. Pela manhã Jaques Wagner já estava em Ilhéus, onde participou de uma concorrida caminhada, pelas ruas centrais da cidade.

Acompanhado de candidatos a deputado estadual e federal dos nove partidos coligados e de uma militância empolgada, ele disputou no corpo a corpo, beijos, abraços, respondeu aos acenos das pessoas e finalizou a caminhada com um ato público na praça J.J. Seabra, em frente à prefeitura.Momentos antes o petista havia se reunido comprodutores de cacau, no Sindicato Rural.

Com um discurso de representante do presidente Lula, ele buscou intermediar uma saída para a crise do cacau. Segundo Jaques Wagner, esse é o pior momento para buscar soluções verdadeiras para a crise da cacauicultura. Mas se diz comprometido socialmente com a região e com os produtores de cacau e está trabalhando para provar aos outros segmentos do governo que a lavoura foi vítima de uma calamidade. Ele diz ainda que há algum tempo o Estado brasileiro tem responsabilidades com o problema e precisa encontrar solução, só não pode ser imediata.

Afirmou que o governo já tem a proposta que está na Câmara Setorial do Cacau, um conjunto de idéias colhidas entre os vários segmentos da cadeia produtiva. “Temos compromisso com o cacau pelos empregos que gera, pela Mata Atlântica e pelo símbolo que representa para a região”. Wagner aproveitou para responder aos duros ataques que o PT vem sofrendo dos candidatos do PFL.

MATÉRIA DA FOLHA DE SÃO PAULO:


A estética do cangaço

'Historiadora vê nas fotos de cangaceiros feitas por Benjamin Abrahão e outros a gênese da manipulação da mídia por criminosos

No livro de fotos "Cangaceiros", historiadora da arte relaciona estética e estratégias do bando de Lampião por meio de imagens feitas nos anos 30 por mascate libanês

EDUARDO SIMÕES
DA REPORTAGEM LOCAL


A literatura de cordel e o cinema novo heroificaram o cangaço e seus líderes mais notórios, Lampião e Corisco. Bandidos sangüinários, eles souberam usar, antes das letras e do celulóide, uma outra mídia para se autopromover e intimidar. Nos anos 30, Lampião deixou que o mascate libanês Benjamin Abrahão fotografasse a si e a seu bando, uma história já contada pelos cineastas Paulo Caldas e Lírio Ferreira no longa "Baile Perfumado" (1997).

Aqueles registros de corpos paramentados para ação ou de cabeças cortadas e exibidas como numa feira de horrores reaparecem agora reunidos no livro "Cangaceiros", que a editora Terceiro Nome acaba de lançar. As fotos foram coletadas pela historiadora da arte Élise Jasmin, 39, francesa, para uma tese de doutorado na Sorbonne, em Paris, sobre a construção do mito Lampião.

Além dos retratos de Abrahão, o livro traz registros de outros fotógrafos, recolhidos em São Paulo, Rio, Recife, Fortaleza, Aracaju e Maceió, imagens na fronteira entre o fotojornalismo e a propaganda. Ao longo das 18 páginas de seu texto de apresentação, Jasmin fala da importância estética e estratégica da fotografia no cangaço.

"Com as fotos de Abrahão surge a imagem do cangaceiro por excelência. A partir dos anos 30, Lampião se tornou singular: cuidou de sua aparência e de seu grupo, fez uma encenação em torno de sua pessoa e atividade", diz Jasmin à Folha. "As fotos permitem ver esta mudança de estatuto da imagem entre os cangaceiros."
(...)'

Exclusiva do Blog: Itabuna atinge 204.988 habitantes; Ilhéus, 220.943


Estimativa populacional do IBGE para os municípios de Ilhéus e Itabuna acaba de ser divulgada. Em julho deste ano, Itabuna somava 204.988 habitantes, segundo o instituto de geografia e estatística. Há um ano, diz o IBGE, eram 203.816 residentes na terrinha,sendo 196.675 ao final de 2000.

Ilhéus caminhou em sentido contrário. Registrou redução do número de habitantes. Eram 221.110 em julho do ano passado e, agora, são 220.943 os residentes no vizinho município. Mas a queda é bem menor do que a registrada em anos anteriores, quando a cidade encolheu em número de habitantes de cerca de 255 mil para 221.110. Antes, encolhia a uma média de 2,3 mil habitantes/ano (entre 1991 e 2005).

Situação similar à registrada em Ilhéus acontece na grande maioria dos municípios sul-baianos. Uruçuca apresentou a maior queda dentre os 15 elencados nesta postagem. Caiu de 13.782 para 12.709 habitantes. Confira a lista:

Buerarema - 18.040 (jul/2005) - 17.863 (jul/2006)
Barro Preto - 7.350 (jul/2005) - 7.144 (jul/2006)
Camacan - 27.316 (jul/2005) - 26.703(jul/2006)
Canavieiras - 36.765 (jul/2005) - 37.002 (jul/2006)
Coaraci - 25.840 (jul/2005) - 25.509 (jul/2006)
Gandu - 27.598 (jul/2005) - 27.670 (jul/2006)
Ibicaraí - 27.797 (jul/2005) - 27.622 (jul/2006)
Itajuípe - 20.995 (jul/2005) - 20.746 (jul/2006)
Itapé - 14.009 (jul/2005) - 13.906 (jul/2006)
Pau Brasil - 11.086 (jul/2005) - 10.765 (jul/2006)
Ubaitaba - 25.603 (jul/2005) - 25.890 (jul/2006)
Una - 35.962 (jul/2005) - 36.734 (jul/2006)
Uruçuca - 13.782 (jul/2005) - 12.709 (jul/2006)

01 setembro 2006

E por falar em pesquisa



Um mistério ronda a disputa para o governo da Bahia. Há quase três semanas não se ouve falar em novas pesquisas. Uma fonte ligada à campanha do PFL baiano dá uma pista. Indica que o candidato petista Jaques Wagner tem crescido em níveis fora da média, principalmente na região metropolitana. Diz que o adversário de Souto conseguiu ultrapassar a casa dos 30% e forçaria um segundo turno se - apenas se - reproduzir parte desse cenário em todas as regiões do estado. Outra preocupação é o crescimento do petista nas grandes cidades. Foi assim em 2002 e quase o ex-ministro de Lula leva a disputa para o segundo turno.

Por que Paulo Souto não bate em Lula?

Paulo Souto disse ao jornal A Tarde de sexta ser contra campanha negativa (bater em Wagner e no presidente Lula). Comunicador habilidoso e rumando para mais uma vitória, o governador ouve do povo um apelo: 'Vou votar no senhor, no Estado, mas não bata no Lula porque vou votar nele para presidente.'

O "Chuchu" tá crescendo

Nova pesquisa Ibope mostra uma subidinha de Alckmin. Saiu de 22% para 25% das intenções de voto. Lula oscilou para 48%. A diferença entre ambos ainda é grande. O petista venceria a eleição no primeiro turno. Para o governador Paulo Souto, "só um terremoto tira a vitória de Lula". Vamos ver.

Você conhece a "Seplac"?


E aí, professor Geraldo, é Ceplac ou Seplac???

O texto abaixo foi extraído do site do presidenciável Geraldo Alckmin. Se refere à visita do tucano a Itabuna, ontem. Veja as promessas para o sul da Bahia e o novo jeito de escrever Ceplac. Diz o texto:

O candidato fez questão de destacar políticas que pretende implantar para a região de Ilhéus, Itabuna, para o Sul da Bahia. Ele frisou o empenho do governo baiano para resolver problemas enfrentados pela região e incentivar vocações regionais, como o turismo: "o governo, através da Seplac vai dar todo o apoio para a região: renegociar a dívida do setor cacaueiro, apoiar quem produz, quem gera emprego, quem trabalha; essas questões sanitárias são graves. Aqui, inclusive, há suspeitas em relação à questão da vassoura de bruxa. O Brasil precisa investir na questão sanitária, é extremamente necessária. Turismo: a Bahia é um exemplo de avanço na questão do turismo. Adotar esse bom modelo e trabalhar em parceria com o governo bem-sucedido aqui na Bahia, Saneamento básico também é importante e a Saúde, que é a minha área vamos implantar o cartão SUS, estabelecer as referências e melhorar a qualidade no atendimento da saúde da população."

É isso. Afinal, que diferença há entre Seplac e Ceplac, né? No final, dá tudo na mesma coisa. Se você duvida do que está acima e de onde ele partiu, é só acessar www.geraldo45.org.br/sis/lenoticia.php?id=1011&c=31

Ela é puro êxtase!

A ruiva sexy que amarra o programa de Jaques Wagner esbanja sensualidade, comunica-se bem com o olhar, fala direto com o telespectador. Em suma, possui uma razoável dose de qualidades para uma boa apresentadora de TV.

Mas tem um problema. Aquela carinha safada de quem acabou de sair do banho, com uma expressão de destruidora de lares, talvez não cole bem com todo tipo de público. Imagina aquela senhora carrancuda de lá de Caculé, ao lado do marido babando em frente da TV. É tapa na orelha e televisão desligada.

Que a mulher é boa, não há dúvida. Mas seu talento combina mais com programas do tipo "Na cama com Monique" do que o compra-que-eu-pago eleitoral. A Bahia é multifacetada e é preciso dos nossos nobres marqueteiros capacidade para entender o pensamento dos mais variados tipos de público. Aí é só pensar em um personagem padrão, que agrade a todos, na medida do possível.

Mas lá em casa aquela ruiva bateria um bolão...

"Só terremoto tira vitória de Lula", diz Souto

A repórter Ana Cristina Oliveira, da sucursal Itabuna do A Tarde, revela em reportagem de hoje que, apesar de apoiar Alckmin, Paulo Souto não vê a mínima chance do tucano sair presidente nas eleições de outubro. Palavras dele:

- Só um terremoto tira a vitória de Lula.

E-mail sobre Lula esconde vírus que é o satanás

DA REDAÇÃO DO SITE IDG NOW:

"E-mail usa suposto assédio sexual
de Lula para roubar senhas


E-mail usa escândalo sexual envolvendo presidente para forçar usuário a baixar cavalo-de-tróia que rouba dados bancários.

Uma nova armadilha digital usa um suposto escândalo sexual envolvendo o presidente Lula para roubar senhas e dados bancários do usuário.

A mensagem, que chega ao computador do usuário com o título de "Escolha melhor o seu presidente!", afirma que uma funcionária do Governo acusou o presidente de assédio sexual e remete o suposto caso ao envolvimento do ex-presidente Bill Clinton com a estagiária da Casa Branca Monica Lewinsky.

O phishing, que traz uma foto do encontro de Lula com a secretária de Estado dos Estados Unidos Condoleezza Rice leva o usuário a baixar o arquivo malicioso afirmando que o link leva a fotos obtidas "com exclusividade (...) que comprovam o ato".

De acordo com Denny Roger, diretor de negócios da Batori Security & Software, o link leva o usuário a um cavalo-de-tróia, identificado como Win32.Banbra.gl pela empresa russa de segurança Kaspersky.

Após instalado, o malware, detectado inicialmente em 2003, rouba senhas e dados bancários do usuário e as envia para servidores programados por crackers (...)"

O fim dos comícios II

A popularização da internet e o uso cada vez maior de outras mídias vão acelerar o fim dos comícios. Os políticos estão em choque. Não sabem como lidar com esta nova realidade. Ontem à noite o Pati, que já reuniu mais de cinco mil pessoas em comícios "memoráveis", recebeu pouco mais de mil pessoas para receber o governador Paulo Souto, o senador Antônio Carlos e o presidenciável Geraldo Alckmin.

Pior é que boa parte estava ali obrigada - funcionários de prefeituras, cabos eleitorais e gente que trabalha na campanha dos candidatos a deputado.

Crise na saúde de Itabuna



O ar risonho exibido pelo prefeito Fernando Gomes no comício de agora há pouco, no São Caetano, contrasta com o momento vivido pelo setor de saúde de Itabuna. Nesta quinta à noite, quem precisou de atendimento no pronto-socorro do Hospital Calixto Midlej (Santa Casa de Misericórdia) encontrou as portas fechadas.

O PS da Santa Casa é o segundo em número de atendimentos no sul da Bahia. Ao fechar, agrava ainda mais o quadro grave do setor de urgência no município. O prefeito eleito com a promessa de "revolucionar" a saúde não está sendo capaz de resolver a dívida do Hospital de Base (HdB), pouco se moveu para solucionar mais essa nova bomba, permitindo o fechamento do PS do Calixto Midlej.

A notícia significará o estrangulamento da urgência e emergência do HdB, que sofre porque a prefeitura não está fazendo, regularmente, o aporte de R$ 400 mil/mês para equilibrar o caixa do Hospital. O paciente que precisa do SUS ficará a ver navios.

Globo passa a serra elétrica em Heloísa Helena

Quem assiste à entrevista de Heloísa Helena no Jornal da Globo, neste momento, percebe uma candidata nervosa, se perdendo nos raciocínios. os apresentadores promovem, agora sim, o massacre da serra elétrica. (ooh31min)

31 agosto 2006

A eleição de 1992 e os "geraldos"

Para quem gosta de história e quer saber mais sobre como foi o processo eleitoral de 1992, uma boa dica é acessar o site do instituto de pesquisas Sócio Estatística (www.socio-estatistica.com.br). O competente Agenor Gasparetto faz um relato daquela eleição a partir das ruas e dos frios números da pesquisa. A propósito, o sociólogo conta toda essa história no livro Política & Pesquisas; a sucessão municipal no Sul da Bahia. Edição do Autor (Agenor Gasparetto), Itabuna, Bahia, 1993.

Imperdível!

Inspirado em Malvadeza

O discurso apoplético de ACM me inspirou estes versos mal ajambrados (não exijam muito, pois o poeta é tosco):

ACM, velha raposa
Dizem que rouba, mas faz
Por trás da roupa em que posa
Traz a pele de Barrabás
Mas pra ele Lula é pior
Pois no lugar do dedo cotó
Esconde o tridente de satanás

ACM banca o exorcista

O que faltou de gente no comício de Alckmin sobrou em palavrões na boca de ACM. O velho Malvadeza chegou ao palanque com uma mala de adjetivos capaz de - como dizem - fazer corar um frade de pedra. Entre outras proezas de sua língua afiada, ACM chamou Lula de ladrão e até de satanás.

Depois de dizer que "somente três coisas acontecem na vida de uma pessoa - nascer, morrer e votar no PT", o senador não respeitou o cargo ocupado por Lula. Ao ouvir "xô, satanás, PT nunca mais", emendou:

- O verdadeiro satanás é o presidente da República.

ACM deve ter visto a pesquisa divulgada pouco antes pelo Vox Populi.

No comício de Alckmin, Fernando lembra de outro Geraldo

O prefeito de Itabuna está sendo esta noite anfitrião do candidato do PSDB à presidência da República, Geraldo Alckmin. Em um arremedo de discurso de boas-vindas, Fernando Gomes disse ao tucano para não se amedrontar com as pesquisas de opinião, que o colocam derrotado já no primeiro turno.

- Essas pesquisas são falsas, não são verdadeiras. Em 1992, meu candidato (José Oduque) tinha 32%, o segundo 25% (Ubaldo Dantas) e o terceiro só 2%. O terceiro virou nos últimos três dias e ganhou a eleição -, lembrou, com os erros de informação que são naturais a um "empolgado".

O curioso foi que Fernando, no discurso, fez referência a uma vitória de seu maior adversário na política, Geraldo Simões (PT). Lembrou que o ex-prefeito venceu as eleições municipais em Itabuna, no ano de 1992, mesmo aparecendo nas pesquisas em terceiro lugar até às vésperas do pleito.

É, lá se vão 14 anos desde a histórica vitória de Geraldo Simões. Pouco antes daquela eleição, o presidente Collor havia sido deposto, acusado de corrupção. os jovens, que Fernando chamou à época de maconheiros e desocupados, estavam nas ruas cobrando moralidade e ética na política. Havia um clima de mudança e de virada.

Se o impeachment de Lula tivesse encontrado eco nas ruas, talvez o outro Geraldo tivesse hoje alguma chance. Mas o presidente foi mais forte e escorou-se no respaldo popular, seguindo hoje para o que tende a ser a mais expressiva consagração eleitoral já vivida por um presidente da República no Brasil.

São outros tempos, Fernando. Quando você se lembrou de Geraldo Simões e sua vitória contra as pesquisas, o outro Geraldo deve ter pensado: "será que esse moço já ouviu falar que a exceção confirma a regra?". Pois é, pois é...

Lula sobe 5 pontos no Vox Populi

Divulgada agora no Jornal da Band, a pesquisa Vox Populi mostra crescimento vigoroso do presidente Lula. Ele saltou de 45% para 50% das intenções de voto. Alckmin saiu de 24% para 25%. Heloísa Helena ficou nos 9% da pesquisa anterior e Cristovam Buarque "subiu" de 1% para 2%.

Outra notícia boa para o presidente Lula é que na simultânea ele saltou de 36% para 43%.

Alckmin apressa o asfalto

O governador Paulo Souto decidiu apressar as obras na estrada Ilhéus-Itabuna. Por um motivo simples: a visita de Geraldo Alckmin. A pista está de dar dó em alguns pontos. Uma fonte do Derba diz que a primeira providência foi fazer a roçagem das margens da pista. O recapeamento, agora, vem junto com o Geraldo Alckmin e com as eleições... Paulo Souto decidiu se antecipar, contrariando a própria fala no horário eleitoral da quarta-feira.

Para refletir

Fernando Rodrigues, jornalista experiente e com anos de cobertura política em Brasília, traz uma nota em seu blog que leva à reflexão (reprodução abaixo!). Rodrigues é da Folha de São Paulo e se tornou famoso pela série de reportagens sobre a compra de votos para a emenda da reeleição, em 1996. Nela, políticos apareceram dizendo ter recebido R$ 200 mil para aprovar o projeto que interessava ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, àquela altura no primeiro mandato e querendo - teve! - outro mandato.


"O risco da vitória ou da derrota acachapante


O Sensus está apontando para uma vitória como nunca se viu na eleição presidencial. Todas as pesquisas reservadas dos candidatos já mostravam isso desde o fim de semana.

É momento para reflexão. O Brasil está tão bem a ponto de um presidente da República, Lula, ter tamanha aprovação? O voto é soberano e o eleitor deve saber o que está fazendo. Mas o momento oferece uma oportunidade para pensar sobre o estado da política no país. Será inédito o tamanho do a ser conferido a Lula e ao PT depois desta eleição --a serem confirmados os números das pesquisas, é claro.

Lula e o PT estão maduros o suficiente? Vamos todos saber na prática. E os partidos que se dizem de oposição, mas que estão babando de vontade para aderir a Lula? O que será deles?

O pior dos mundos é se sair mesmo o tal acordão unindo os principais partidos a partir de 2007. Sem diversidade não há democracia."

Cadê o asfalto, Paulo Souto?

O presidente Lula fez uma espécie de engana-povo com a operação Tapa Buracos. Parece ter dado aula ao governador Paulo Souto. Este último prometeu em propaganda governamental, em junho, recapear toda a estrada Ilhéus-Itabuna (rodovia Jorge Amado). O comercial na tevê, bonito, dizia que as obras "já começaram". Três meses se passaram e nada - e nem pense você em duplicação da rodovia.

Há uma semana esteve em Ilhéus e prometeu o início das obras para "a próxima semana". Ontem, no horário eleitoral, aparece o mesmo governador dizendo que o recapeamento entre Conquista e Firmino Alves começou. Afirmou que somente após a recuperação desse trecho é que começam as obras na rodovia Ilhéus-Itabuna. Tem nada não. O povo espera, governador!!!

- Enquanto isso, vários acidentes acontecem no viaduto que liga as duas principais cidades, na altura da Churrascaria Los Pampas. Há dois dias, um acidente sem vítimas destruiu a parte traseira de um Gol. Neste trecho, os buracos estão se tornando verdadeiras crateras, bem parecidas com aquelas das rodovias federais na Bahia.

Delírios de Fernando Gomes...

“A mobilização está grande. Tenho certeza que Geraldo Alckmin ganha a eleição em Itabuna”, afirmou Fernando Gomes. “O PT aqui não tem chance, ainda mais depois da desastrosa administração do petista Geraldo Simões, acusado de ter disseminado de forma criminosa a vassoura-de-bruxa nas plantações de cacau da região. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva não tem a menor chance aqui”, complementou o gestor.

Será que a declaração acima, publicada hoje no Correio da Bahia, é mesmo de Fernando Gomes??? Em Itabuna, as pesquisas para consumo interno apontam uma vitória esmagadora de Lula, coisa de 55% a 16%. Não se sabe de onde o prefeito tirou toda essa certeza. A realidade é outra.

Desconfiamos também que, na mesma reportagem, Fernando tenha "mudado" o seu linguajar. Olhe uma resposta que mais parece saída da boca de um sindicalista ou de um político da antiga esquerda:

“Itabuna e a região sul da Bahia sabem que precisam eleger um presidente comprometido com as causas dos produtores rurais".

"Souto ganhou o debate" na Band

Garimpando na internet, encontramos ótimo comentário de Jânio Lopo, na Tribuna da Bahia, sobre o debate de segunda passada. Reproduzimos, abaixo.

"Souto ganhou o debate

Quem melhor se saiu no debate promovido pela Band na noite de anteontem foi o governador Paulo Souto. Não foi questionado e nem precisou responder a uma única pergunta. Pode até não ter subido no índice de intenção de voto, mas, com pouquíssima margem de erro, não desceu um centímetro no item aprovação popular. Souto foi exemplar. Quando instigado pelos adversários, não estava nem aí nem chegando. Não falou nada. Deixou que falassem por ele. Souto deu a entender que enquanto o couro comia no estúdio da Band, ele entrava no décimo sono. Não entendo nada da matéria, mas especialistas (nunca consultei um) apontam o décimo sono como o melhor de todos. O governador quer a reeleição mas, de preferência, sem precisar se aporrinhar com os desaforos alheios. Todas as pesquisas apontam sua vitória ainda no primeiro turno. Torço pelo segundo turno. Torço para que todas as pesquisas sejam desmentidas nas urnas.
Mas Souto está de bem com o eleitorado - ou seria o contrário? Pouco importa. Importa é que um debate depois das 22 horas, com término após meia-noite é tão empolgante quanto um longo discurso de Geraldo Alckmin. A maioria desliga o televisor. Para os que preferem apenas saber do resultado do debate e, por uma coincidência da vida lêem esse comentário, insisto: Souto foi o grande vencedor. O petista Jaques Wagner marcou um importante tento. Não no confronto da Band, mas no horário eleitoral às 20h30.
Não sei se era essa a sua intenção, mas ele conseguiu tirar o PFL do sério através das críticas aos programas do governo do Estado, sobretudo ao Cabra Forte. Se essa estratégia (seria mesmo uma estratégia?) vai render ou tirar-lhe votos, ninguém sabe. Entretanto, o cabra mostrou-se fraco ao sair batendo no PT e em Wagner, particularmente. O petista precisa polarizar com o PFL e agora já sabe o caminho. É só aperfeiçoar o tom da provocação e deixar que cada um ajuste a carapuça ao seu modo.
Para encerrar: Souto vai ganhar novamente os próximos debates. Basta não comparecer a nenhum deles. A propósito, sua excelência o governador do Estado pisou mesmo os pés na Band? Sinceramente não sei. Sei, porém, que ele foi o maior beneficiado. Alguém jura ter visto seu vulto sendo carregado por populares à saída da emissora. Não vi. Acho que há muita gente sonhando acordada. Como eu, por exemplo."

Eleição esquenta na Bahia

O governador Paulo Souto partiu para o confronto contra o seu mais 'forte' opositor na disputa ao Palácio de Ondina. Passou a usar o horário eleitoral gratuito e as inserções na tevê para atacar mais diretamente o petista Jaques Wagner.

Inicialmente, os marqueteiros não iriam responder às provocações de Wagner no horário eleitoral, dentre elas a de que Souto gasta mais dinheiro em propaganda do que em programas como o Cabra Forte e de fazer da Bahia o estado campeão brasileiro em analfabetismo. Pesquisas qualitativas e por telefone indicaram reação de Wagner nas pesquisas, superando a barreira dos 30% de intenções de voto. O petista levou mais de 10 mil pessoas às ruas de Conquista - sem Lula como chamariz...

Antes que o "preguiçoso" - como é chamado o petista por ACM - cresça mais, os pefelistas foram para o ataque. Uma das inserções de Souto bate forte ao "revelar" a saída de Jaques Wagner do Ministério do Trabalho, com um saldo negativo na abertura de postos de trabalho com carteira assinada e frustrado num dos programas-chaves para o governo, o "Primeiro Emprego".

Outra estratégia "soutista" para não perder votos é esconder o presidenciável Geraldo Alckmin dos programas de tevê e rádio. Só fala do tucano nos palanques. Na Bahia, Alckmin perde até para Heloísa Helena nas pesquisas. Aliás, o tucano estará em Itabuna hoje à noite, às 21h, junto com Souto, ACM e Rodolfo Tourinho. A visita não mereceu nenhuma menção no horário eleitoral de quarta.

30 agosto 2006

Bomba: Fernando quer entregar o Hospital de Base ao Governo do Estado

A idéia é polêmica e se sair do papel fará desmoronar uma das promessas de campanha do prefeito Fernando Gomes. Com a crise financeira do Hospital de Base (HdB) cada vez mais grave, o prefeito propôs que o Governo do Estado passe a injetar, mensalmente, R$ 600 mil no "caixa" da unidade de saúde. Diz que os repasses do SUS ao HdB somam apenas R$ 900 mil/mês (até o início do ano atingia a média mensal de R$ 800 mil). Entretanto, as despesas atingem R$ 1,2 milhão em igual período, gerando déficits sucessivos.

Se o Governo do Estado não entrar no "consórcio" com o município, Fernando ameaça entregar o HdB à Secretaria Estadual de Saúde (Sesab)- apesar de Itabuna estar na Gestão Plena. O governador Paulo Souto responderá à proposta hoje, talvez até no comício de logo mais à noite, no São Caetano. Caso receba a "injeção" de R$ 600 mil mensais, o Hospital ganhará oxigênio para funcionar "a pleno vapor".

Este blog conferiu as contas do prefeito. A partir de uma análise de um ex-secretário da Pasta, Fernando pode estar inflando números. De acordo com esta fonte -que pertenceu aos quadros do alcaide, o Hospital apresenta despesa de 1,2 milhão. Para ele, o município tem, sim, condições de manter a unidade pública, bastando fazer aporte de R$ 400 mil/mês. Acredita a fonte que a idéia de repassar o HdB à Sesab surgiu da cabeça do atual secretário, Jesuíno Oliveira.

Jesuíno atuava na parte contábil da secretaria antes de tornar-se titular da Pasta. Tanto o contabilista quanto o secretário de finanças, Geraldo Pedrassoli, são contra o repasse mensal de R$ 400 mil dos cofres da viúva para o Hospital de Base. Com as contas apertadas, campanha eleitoral e a necessidade de fazer obras com recursos próprios - o que não aconteceu até agora-, a decisão tomada foi criar um "factóide" às vésperas da visita do governador Paulo Souto.

Comentário deste blog: Menos de 20 meses após a posse, o prefeito ameaça jogar a toalha (ou o chapéu, para ser atual e combinar com a propaganda caríssima que roda há mais de mês na tevê e tece loas à gestão do alcaide). Fernando não conseguiu melhorar o atendimento na rede básica e vê o hospital de Base praticamente estrangulado.
Mas na caça aos votos, em 2004, o prefeito cometeu o absurdo de afirmar que, ao tomar posse, mudaria este setor em quatro meses. A promessa: qualquer cidadão seria atendido em quatro minutos, seja no posto de saúde ou no próprio HdB. E não importava o absurdo da promessa. O importante era angariar votos. Hoje falta até papel higiênico!

Faltou compromisso, sobrou demagogia.

Fotógrafo barrado na Amurc


Impedir o acesso da imprensa em uma reunião é, muitas vezes, sinal de que nela se processam tramas inconfessáveis, assuntos que não podem ser em sua inteireza conhecidos pela opinião pública.

Mas o que pode não ser de interesse público em uma reunião ocorrida na Amurc, entidade cujo papel é defender os interesses dos municípios do sul, extemo-sul e sudoeste baianos? Ali, o que não for público e notório, só pode ser indecoroso.

É por esse motivo e fundamento que o blog estranha a postura da até ontem presidente em exercício da Amurc, Débora Borges, que expulsou o fotógrafo Waldir Gomes (Jornal Agora e Prefeitura de Itabuna) do encontro de avaliação do protesto batizado como "Levante do Cacau".

Gomes foi expulso de forma grosseira e o jornal Agora teve que publicar a foto de uma semana atrás, quando Luís Franco Timóteo, conduzido pelo radialista Villy Modesto, esteve na Amurc. Foi o estranho encontro do "terrorista" com suas vítimas. Algo tão esdrúxulo, como se Osama Bin Laden em pessoa fizesse uma visita às famílias dos mortos no ataque às Torres Gêmeas.

A mesma foto de Waldir Gomes (da semana passada, pois ontem já foi dito que ele foi barrado) ilustra esta nota.

Deu na Folha de hoje:

A Folha de São Paulo destaca como nota principal da coluna política Painel, a estratégia desesperada da coordenação da campanha de Alckmin em todo o país... e na Bahia:

"Babel
Com mais pesquisas na praça sem boas notícias para Geraldo Alckmin, a campanha vai se transformando em um festival de cobranças e recriminações.
Em Brasília, os pefelistas que ainda não abandonaram o tucano de vez exigem ditar seu figurino no palanque. A ala baiana o receberá amanhã em Itabuna responsabilizando o PT pela praga da vassoura de bruxa nas plantações de cacau e distribuindo adesivos com a expressão "Mensalulão".
Em São Paulo, onde a vantagem sobre Lula na intenção de voto se estreitou, o círculo mais próximo de Alckmin resolveu ressuscitar a choradeira de que "falta empenho da campanha estadual".

CPI do Cacau

O deputado Heraldo Rocha, macho que ele só, comemora a aprovação da CPI do Cacau, criada para apurar as denúncias do administrador de empresas Luiz Franco Timóteo sobre a introdução da vassoura-de-bruxa no sul da Bahia. A proposta teve 23 votos favoráveis, todos de deputados estaduais da base governista e que fazem oposição ao ex-prefeito de Itabuna Geraldo Simões, um dos acusados - sem provas - da sabotagem biológica contra a lavoura cacaueira sul-baiana. Dizem que o voto de Edmon Lucas foi computado a favor da CPI. Trata-se de um caso raro em que a Assembléia Legislativa da Bahia aprova a constituição de uma investigação.

Outros 50 pedidos dormem na gaveta da presidência do parlamento estadual. Também pudera... quase todos são contra o governador Paulo Souto, para apurar escândalos como o da Bahiatursa - em que se suspeita de desvios de R$ 92 milhões- e dos grampos telefônicos quando o governo de César Borges e de ACM foi pego interceptando conversas de adversário e até de ex-amante de senador.

29 agosto 2006

Marcos Gomes usa a máquina

O candidato a deputado estadual Marcos Gomes está usando e abusando da prefeitura de Itabuna em sua campanha. Cara de pau sem cerimônia, Marcos está indo para os bairros, acompanhando equipes que capinam as ruas. Aparece como o diligente filho do prefeito, preocupado com a conservação da cidade.

Felizmente, o molde usado pra fazer gente besta está em extinção. Na segunda-feira, Marcos quis aplicar em cima de um idoso, na periferia de Itabuna. Chegou pro velhinho e disse: "É moço, o senhor já viu um serviço desse em outra época?".

E o velhinho, na bucha: "É que nem toda época é de eleição, meu filho".

Só faltou completar: e nem todo candidato conta com a teta da viúva pra mamar e se lambuzar.

Abaixo, o leitor tem a radiografia da pesquisa Datafolha de hoje.



"Após 12 dias de horário eleitoral na TV, e faltando 33 dias para a eleição, a disputa pela Presidência se mantém estável, e Luiz Inácio Lula da Silva (PT) continua com chance de vitória no primeiro turno, mostra pesquisa realizada pelo Datafolha hoje, 29 de agosto de 2006. Lula oscilou de 49% das intenções de voto, há uma semana, em levantamento realizado nos dias 21 e 22, para 50% hoje, o que equivale a 56% dos votos válidos, ou seja, descontados votos nulos, em branco e os eleitores que se dizem indecisos. A aprovação ao presidente, recorde no levantamento anterior (52%), recuou quatro pontos percentuais.

Geraldo Alckmin (PSDB) oscilou de 25% para 27% das intenções de voto e se mantém em segundo lugar. Heloísa Helena (PSOL), que no início do mês tinha 12%, oscilou negativamente pela segunda vez consecutiva, de 11% na pesquisa anterior para 10% hoje.

Cristovam Buarque (PDT) obtém 1%, taxa que se repete desde o fim de junho. José Maria Eymael (PSDC), Luciano Bivar (PSL) e Rui Costa Pimenta (PCO), foram citados, mas as menções a seus nomes não chegam a 1%. Se a eleição fosse hoje, 6% votariam em branco ou anulariam o voto, taxa idêntica à dos que se dizem indecisos.

O Datafolha ouviu 2863 eleitores em 175 municípios do país. A margem de erro máxima, para o total da amostra, é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

A aprovação ao desempenho do presidente, que era de 52%, a maior desde que o Datafolha começou a fazer pesquisas nacionais de avaliação do governo Federal, em 1990, é hoje de 48%. A taxa dos que acham que o petista vem fazendo um governo regular passou de 31% para 36% e a dos que consideram seu desempenho ruim ou péssimo se manteve em 16%.

A nota média atribuída ao presidente, em uma escala de zero a dez, é 6,6. Na pesquisa anterior ela era 6,7.

A pesquisa também mostra estabilidade no que diz respeito a um eventual segundo turno. Contra Geraldo Alckmin, Lula obteria 55% dos votos. O tucano receberia o voto de 37%. Na pesquisa anterior, o atual presidente vencia por 55% a 36%. Na simulação de um segundo turno contra Heloísa Helena, o petista oscilou de 57% para 58% e a senadora do PSOL passou de 31% para 30%.

A taxa dos que declaram, de maneira espontânea, que vão votar em Lula para presidente, oscilou de 37% para 38%. As menções espontâneas a Geraldo Alckmin oscilaram de 13% para 15% e as citações a Heloísa Helena passaram de 6% para 5%. Não sabem dizer, espontaneamente, em quem vão votar para presidente em outubro, 35% (eram 36% no levantamento anterior).


A rejeição ao nome de Lula, que vinha em queda, desde julho, oscilou um ponto para cima, de 26% na pesquisa da semana passada para 27% hoje. A rejeição a Heloísa Helena mantém tendência de alta: de 21% no final de junho chega hoje a 26% (24% na semana passada), taxa idêntica à que atinge Rui Costa Pimenta. O percentual dos que afirmam que não votariam de jeito nenhum em Geraldo Alckmin, no primeiro turno da eleição para presidente, se manteve em 24%, mesma taxa obtida por Cristovam Buarque, José Maria Eymael e Luciano Bivar."

Datafolha: Lula vai a 50%; Alckim a 27%

Divulgada há pouco, a pesquisa Datafolha revela que Lula avançou para 50% (49% na pesquisa anterior), Alckmin foi a 27% (25%) e Heloísa Helena caiu para 10%. Feito nesta terça-feira, o levantamento difere do anterior no número de questionários aplicados. A pesquisa do dia 22 entrevistou 6.279 pessoas. Agora, apenas 2.863. Lula bate Alckmin também no segundo turno (55% a 37%).

Lula chega a 51%... boa idéia

O presidente Lula obtém 51% das intenções de votos, segundo pesquisa CNT/Sensus. A Caninha dos Müller agradece, afinal, não há melhor garoto-propaganda para a Caninha51 do que o nosso presidente, um profundo degustador de aguardentes, principalmente as produzidas em Minas Gerais. Melhor ainda quando o garoto-propaganda está com um pé no futuro, quer dizer, praticamente reeleito. Amante da pinga, dos brasileiros, ele dá uma sova nos adversários. Não precisava nem de mensalão, né?

Bom... os números da pesquisa são os seguintes: o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) seria eleito ainda no primeiro turno. A intenção de voto no candidato à reeleição subiu de 47,9%, em levantamento do início de agosto, para 51,4%. Na eleição de 2002, Lula tinha 34% em pesquisa do mesmo instituto, realizada de 24 a 26 de agosto daquele ano.

Os demais candidatos oscilaram dentro da margem de erro de três pontos percentuais, para mais ou para menos. Geraldo Alckmin (PSDB) permaneceu estável, e oscilou 0,1 ponto percentual para baixo - de 19,7% para 19,6%. Em julho, o tucano tinha 27,2%.

O milagre de Marcos Gomes

Marcos Gomes vai aproveitar a visita do presidenciável Geraldo "Chuchu" Alckmin para lhe ensinar como fazer campanha barata - aliás, a custo zero. Leitor atento desde blog - e, provavelmente, com boas intenções - deu a dica e corremos atrás. No site do TSE, informa-se que o candidato a deputado estadual Marcos Gomes, ex-Markson Oliveira, não gastou nadinha até agora. Isso mesmo, leitor, filho de Fernando Gomes faz uma das campanhas mais vistosas do sul da Bahia, mas até agora não gastou nada. Fala sério, né?


RELATÓRIO PARA DIVULGAÇÃO NA INTERNETUF BA
Candidato MARKSON MONTEIRO OLIVEIRA
Candidatura Deputado Estadual
Nº /Sigla Partido 11133 / PP

2 - Despesas Valor R$

2.1 - Despesas com pessoal R$ 0,00
2.2 - Encargos sociais R$ 0,00
2.3 - Impostos, contribuições e taxas R$ 0,00
2.4 - Locação / Cessão de bens imóveis R$ 0,00
2.5 - Despesas com transporte ou deslocamento R$ 0,00
2.6 - Locação / Cessão de bens móveis R$ 0,00
2.7 - Despesas postais R$ 0,00
2.8 - Materiais de Expediente R$ 0,00
2.9 - Combustíveis e Lubrificantes R$ 0,00
2.10 - Publicidade por Placas, Estandartes e Faixas R$ 0,00
2.11 - Publicidade por Materiais Impressos R$ 0,00
2.12 - Publicidade por Carros de Som R$ 0,00
2.13 - Publicidade por Jornais e Revistas R$ 0,00
2.14 - Publicidade por Telemarketing R$ 0,00
2.15 - Energia Elétrica R$ 0,00
2.16 - Telefone R$ 0,00
2.17 - Serviços Prestados por Terceiros R$ 0,00
2.18 - Comícios R$ 0,00
2.19 - Alimentação R$ 0,00
2.20 - Água R$ 0,00
2.21 - Pesquisas ou Testes Eleitorais R$ 0,00
2.22 - Produção de Programas de Rádio, Televisão ou Vídeo R$ 0,00
2.23 - Encargos Financeiros e Taxas Bancárias R$ 0,00
2.24 - Multas Eleitorais R$ 0,00
2.25 - Doações Financeiras a Outros Candidatos e/ou Comitês Financeiros R$ 0,00
2.26 - Reembolsos de Gastos Realizados por Eleitores R$ 0,00
2.27 - Eventos de Promoção da Candidatura R$ 0,00
2.28 - Diversas a Especificar R$ 0,00
2.29 - Bens Permanentes R$ 0,00
2.30 - Produção de Jingles, Vinhetas e Slogans R$ 0,00
2.31 - Criação e inclusão de páginas na internet R$ 0,00
Total das despesas R$ 0,00

Val Cabral, a nova cria de Maria Alice

- Val Cabral, de preto e à direita, comanda a baderna

O coordenador municipal do programa DST/Aids, Val Cabral, entra em cena. Ex-presidiário que deu a volta por cima, o hômi passou de ferrenho opositor a estrategista de Fernando Gomes. A última dele foi coordenar a baderna no Banco do Brasil, semana passada. Maria Alice pariu a sua nova "cria".

Dika, o campeão de cheques sem fundos

Reprovado pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), o prefeito de Uruçuca, Dilson Argôlo, o Dika, é sério candidato a entrar para o livro dos recordes, o Guiness Book. Emitiu em 2004 nada menos que 313 cheques sem fundos. Usava o "voador" para quitar dívidas com fornecedores da prefeitura.

Apesar dos cheques sem "provisão de fundos", a famosa Alínea 11, a Câmara de Vereadores de Uruçuca aprovou as contas do "campeão", por seis votos a 2. Dika também é campeão em nepotismo. Tinha mais de 50 parentes empregados na viúva. O Ministério Público o obrigou a fazer concurso.

Alckmin vem. Sem chuvas!

A previsão do tempo para quinta-feira, em Itabuna, segundo o Infotempo: "nublado em grande parte do dia. A temperatura mínima será de 18ºC e a máxima de 24ºC. Dessa vez Alckmin não vai precisar de uma desculpa com São Pedro para nao vir a Itabuna.

Um calango da prefeitura de Itabuna informou a este blog que a organização determinou a cada candidato a deputado levar pelo menos 200 eleitores ao comício. Do contrário, haverá "resposta" do cabeça branca!

Até as paredes...

Nova pesquisa CNT/Sensus diz que 69,2% dos eleitores acreditam na vitória de Lula. É, o chuchu nunca esteve tão em baixa.

Notícias que mudam o mundo...

- SBT está exibindo "Chapolins" inéditos (e os royalties do Luís Sena?)

- Confusão marca homenagem a gol de Pelé... (novidade...)

- Gisele Bündchen no Brasil para conhecer 1ª sobrinha ( e nóis cum isso?)

- Saúde de Ana Paula Arósio preocupa a Globo, diz jornal (Opa, essa é boazuda!)

- Ex-BBB Grazie não acha camiseta tamanho GG no shopping (serve camisinha???)

- Autoridades revelam novidades de plano para explodir aviões em Londres (Ainda isso?)

- Tucanos querem que indignação vire voto... (vai esperando... no muro)

- Lula teria mais votos do que em 2002 (tem mensalão pro eleitor?)

- Lula para intelectuais:"O povo agora tem voz própria" (e tá cumenu mais, prisidenti)

nóis copia e aperfeiçoa...

O tempo fechou na Amurc

Deveria ser apenas uma reunião formal para a devolução do cargo ao presidente da Amurc, Pedro Jackson Brandão. Mas a sessão realizada na manhã de hoje, na sede da entidade, em Itabuna, acabou em barraco.

O radialista Villy Modesto apareceu no encontro, ainda presidido por Débora Borges. Foi cobrado pela imprudência que cometeu ao chegar à Amurc, no último dia 22, acompanhado pelo auto-intitulado bioterrorista Luiz Franco Timóteo.

Botaram o decano do rádio grapiúna na parede. Entre os mais incisivos, estava o cacauicultor Henrique Almeida, que perguntava a Villy o que ele tinha na cabeça quando trouxe Timóteo à reunião (Nota do blogueiro: engraçado esse Henrique, todos estão cansados de saber que Villy nunca teve nada na cabeça).

O pobre do Villy se encontrou acuado, pressionado e quase chorou feito criança. Sorte dele que Maria Alice não estava presente, pois aí a bronca seria bem maior. Segundo os articuladores do tal "Levante do Cacau", Villy acabou melando toda a estratégia criada para desgastar Geraldo Simões com a teoria do bioterrorismo.

Em sua defesa, o radialista disse que não foi idéia sua levar Franco Timóteo à reunião. A "pérola" teria sido concebida pelo cacauicultor Silvano Pinheiro, primo de Timóteo. O mesmo sujeito que o teria convencido a entregar o jogo e contar toda a mirabolante trama sobre a introdução da vassoura-de-bruxa na região.

Vereador na chave agora é moda

Outro dia prenderam uma vereadora em Porto Seguro. Ela estava retendo cartões bancários de aposentados para surrupiar o dinheiro dos velhinhos. Ontem, a polícia grampeou em Eunápolis o presidente da Câmara, Claudionor Nunes (PDT), acusado de peculato.

Entre setembro e dezembro de 2005, o homem abocanhou oito diárias, sem ter saído sequer uma vez dos limites da cidade. Veja que o tal Claudionor Nunes é tão sem-vergonha, que nem fez como os outros vereadores, que viajam para curtir a vida e dizem que foram defender os "interesses do município".

Agora prenderam esse criminoso ambiental em Camacan (nota abaixo). Um detalhe interessante é que as prisões estão acontecendo a partir de municípios do extremo-sul e já chegaram ao sul do Estado, vindo pela BR-101.

Calma, galera! Um dia chega aqui...

28 agosto 2006

Polícia Federal prende vereador em Camacan...

... mas por crime ambiental
"O Ibama e a Polícia Federal (PF) prenderam nesta segunda-feira, 28, Luiz Malta, presidente da Câmara de Vereadores do município de Camacã, no Sul da Bahia. Dono de várias fazendas na região, Malta é acusado de usar madeira da Mata Atlântica em serrarias, o que é proibido por lei. Sua prisão foi a primeira da Operação Vinhático 2, deflagrada nesta segunda pelo Ibama em parceria com a Polícia Federal, o Ministério Público e a Comissão Executiva do Plano de Lavoura Carvoeira (Ceplac).

A operação busca desarticular uma quadrilha que devasta a Mata Atlântica para usar madeira em serrarias e carvoarias. Malta já havia sido autuado na Operação Vinhático 1, realizada em maio, e estava com prisão decretada por ter dito, na presença de um Oficial de Justiça, que não iria interromper o desmatamento. A Vinhático 2 autuou ainda José Edson Batista, dono da carvoaria São Gabriel. No total, três estabelecimentos ilegais foram fechados.

Souto corre de debate - e manda carta!!!

O candidato à reeleição governador Paulo Souto agiu igual a Lula. Preferiu correr do debate entre candidatos ao governo da Bahia. Assim, o debate fica murcho, somente com a presença de Jaques Wagner e dos nanicos.
Aliás, a bola dentro do petista foi revelar que o Programa Cabra Forte é "fraquinho". Paulo Souto investiu R$ 40 milhões em financiamento para a caprinocultura, no ano passado, mas gastou R$ 122 milhões com propaganda no mesmo período.
Agora, veja eleitor a justificativa de Paulo Souto para não comparecer ao debate:
"Souto justificou sua ausência pelo fato de outros candidatos conseguirem liminares judiciais para participarem do programa. A ampliação no número de participantes, segundo o governador, atrapalharia a exposição de idéias e projetos para a Bahia e facilitaria o ataque pessoal entre os candidatos."

Souto vai a debate da Band???

A TV Bandeirantes inicia agora debate com os candidatos ao governo da Bahia. A expectativa é para saber se Paulo Souto participa do debate. Moisés Basesti abriu o programa, mas não fez, ainda, a apresentação dos candidatos (22h26min).

"Você é gay?"



A "Parada Gay" grapiúna perdeu um pouco da graça este ano. Teve menos público e saiu muito tarde, encontrando o comércio fechado. Não se sabe o que houve, mas teve gente preferindo - mesmo - não sair do "armário".

A Cinquentenário até lotou. Só que faltou a graça das personagens generosas em abundância como em anos anteriores.

Pesquisas

A terça-feira será pródiga em números. Saem do forno duas pesquisas eleitorais para a presidência da República. A CNT/Sensus no início da tarde. À noite, no Jornal Nacional, o telespectador conhecerá o resultado da nova pesquisa DataFolha/Globo/Folha de São Paulo.
A conferir se Lula mantém a trajetória ascendente ou se Alckmin se livra do chumbo e cresce mais um pouco. Para quem adora ler pesquisas, outras duas serão divulgadas na quinta e na sexta: a Vox Populi/TV Bandeirantes/Carta Capital e a Ibope/Rede Globo, no Jornal Nacional.

Ambulância...

Observe, atento leitor, a nota que está publicada abaixo, tirada da coluna Política e Políticos, do Agora.

"Pensando bem...
Já se notam por aí os adesivos da campanha do deputado Reginaldo Germano, que tenta a reeleição para a Câmara Federal. Debaixo da imagem de uma cruz sobre um fundo cinza, a peça traz, em letras circundadas em vermelho, o slogan com o qual o candidato pretende atrair a simpatia de possíveis eleitores: Fé e Coragem!
Entretanto, levando-se em conta a embrulhada em que está metido o parlamentar, que responde a processo no Conselho de Ética do Legislativo, talvez algo que rimasse com constÂNCIA, importÂNCIA ou concordÂNCIA fosse um slogan mais apropriado."

Olha a faaacaaa!!!

O presidente da Amurc, Pedro Jackson, reassume o cargo amanhã, depois de um período de afastamento que ficou marcado pelas lambanças da prefeita Débora Borges. Ela pintou e bordou, tratou o cargo sem reverência e trouxe Timóteo, o Joaquim Silvério dos Reis do cacau, para dentro da entidade maior da região cacacaueira. A mulher realmente bateu o
recorde.

Mas Pedrão deve esperar por mais. Em sua ausência, a prefeita se articulou para suceder o titular em definitivo. Já não é segredo para ninguém que Débora Borges quer ver o velho Pedrão pelas costas. Cuidado, amigo!

Amurc culpa a imprensa por fracasso da vassourada

Como sempre, a culpa foi da imprensa. Diretores da Amurc declararam em uma reunião que os jornais, rádios e emissoras de televisão foram os responsáveis pelo fiasco do "Levante do Cacau".

O protesto, que aconteceu na sexta-feira, 25, em Itabuna, reuniu pouca gente, a maioria funcionários da Prefeitura obrigados a abraçar uma causa com a qual não têm a menor intimidade ou simpatia. Não fosse a pressão exercida sobre os barnabés, o vazio seria ainda maior.

Segundo diretores da Amurc, o evento foi mal-divulgado. Pior: a repercussão deu destaque a fatos negativos, como a baderna na agência do Banco do Brasil, onde um sindicalista saiu agredido e deu queixa na polícia.

Na noite de sexta, na TV Cabrália, o programa Alerta Total criticou duramente o protesto. Dizem haver mais que razões jornalísticas para as críticas. A emissora foi discriminada na distribuição da publicidade do Levante. Abocanhou uns R$ 800,00, contra R$ 10 mil da Santa Cruz.

Houve choro e ranger de dentes, além de muita desorganização e escrachado uso político de um protesto fecundado por teorias conspiratórias. Os produtores melhor intencionados anteviram a presepada e escapuliram a tempo.

Não cheirou bem Franco Timóteo - o homem que diz ter trazido a vassoura-de-bruxa para a região - participar de reunião com produtores antes do protesto. Imaginemos um cacauicultor nesse encontro macabro. Olha pra frente e vê Maria Alice, mira para o lado e lá está Franco Timóteo, vira para o outro lado e se depara com Villy Modesto. Imediatamente, ele percebe que se encontra em um circo de horrores e dá no pé.

Mas a culpa, como sempre, é da imprensa.

Jaques, o carioca mais "baiano"

Mesmo sentindo-se mal, como na última sexta 25, o senador ACM não perdeu a chance de estocar seus adversários. Referindo-se ao petista e candidato ao governo da Bahia, Jaques Wagner, o babalorixá afirmou:

- O candidato contra Paulo Souto é o homem mais preguiçoso que eu já vi.

Deve ser a tal "malemolência" baiana...

27 agosto 2006

Fim de noite


Se você não sabia o caminho, agora tá fácil, fácil. Olha a placa!!!

Publicitário de Fernando diz que TV Santa Cruz "age de má-fé"

Barbosa Filho se destacou no jornalismo regional por sua excelência em transmissões ao vivo (carnaval, futebol etc). Passado o tempo, ele mudou para o outro lado do balcão. Agora é dono, até onde sabemos, da TVItabuna e da Ação Propaganda. Ao trabalhar na campanha do prefeito Fernando Gomes, em 2004, se candidatou a homem da propaganda da administração de FG.

Foi pensando muito mais no prefeito do que na sua experiência como jornalista que Barbosinha avaliou os últimos trabalhos da TV Santa Cruz e disparou contra a qualidade do jornalismo da emissora da rede Bahia.

- A TV Santa Cruz age de má-fé –, disse, intervindo numa apresentação de colegas da turma de jornalismo da Facsul, em Itabuna. A equipe apresentava em sala de aula os resultados de monitoramento feito a partir da cobertura de emissoras de rádio e tv.

Barbosinha disse que a má-fé residia no fato de que a emissora de TV havia feito matérias de teor desfavorável à administração do prefeito Fernando Gomes, da qual ele é dono da conta de publicidade. Os alunos explicavam que a emissora fazia vistas grossas a erros da administração e jornais como o Agora, que criticavam a administração passada, deixaram de ver os buracos na cidade, a falta de água e a corrupção na gestão local.

Barbosinha, então, se inchou e mandou ver: citou como exemplos de má-fé da TV Santa Cruz uma entrevista feita pelo repórter Erick Possati em que uma procuradora da República em Ilhéus dizia que Fernando deveria ser cassado por irregularidades na sua gestão. "Fizeram a matéria em pleno carnaval de Itabuna", contestava o publicitário.

Como exemplo 'cristalino' de má-fé, Barbosinha citou ainda o caso da vassoura-de-bruxa ("uma editora disse que não daria a matéria porque a Veja não tinha credibilidade", afirmou em sala de aula)e emendou com a matéria da solenidade de inauguração do Restaurante Popular. A seu ver, a TV errou ao dizer que o Restaurante Popular é uma obra do governo federal (Programa Fome Zero) e ainda mostrou "Fernando apenas de costas".

Este blog é democrático. Abrirá espaço a esclarecimentos de Barbosinha e da chefia de jornalismo da TV Santa Cruz.

Bomba, Bomba!!!

Uma bomba estoura no colo do prefeito Fernando Gomes e no comitê de campanha do candidato a deputado estadual, Marcos Gomes. O jornal A Região revela em sua edição de final de semana que funcionários da Prefeitura ganham dinheiro público para trabalhar na campanha a deputado estadual do filho do prefeito. Este blog publica a matéria na íntegra, logo abaixo:


Fiscal confessa trabalhar na campanha de Markson
Oliveira, filho do prefeito Fernando Gomes, recebendo salário como funcionário da Secretaria de Indústria e Comércio mas "liberado" por 90 dias para pedir votos.
A denúncia não é do PT nem do PcdoB, mas do próprio funcionário, Albuquerque, feita em depoimento para o jornal Informativo Cidade, de Camacan, onde critica a prefeita Débora Borges, para quem fez campanha, e elogia Gomes.
"Na última eleição em Camacan fui chamado para fazer propaganda eleitoral para a atual prefeita, a qual desde a sua primeira campanha, em 96, quando se elegeu, sempre utilizou o lema 'trabalho voluntário', ou seja, trabalhar sem remuneração".
Albuquerque conta que, depois de Débora eleita, ele fez trabalhos para a prefeitura, mas tinha dificuldades em receber, às vezes com 3 a 4 meses de atraso.
Na eleição de 2004, chamado de novo para trabalhar na campanha de Débora de graça, ele não aceitou, tirou os adesivos dela de seu carro e só divulgava o nome da mãe, candidata a vereadora. Segundo Albuquerque, o clima ficou pesado e ele foi para Itabuna.

Em Itabuna
O próprio Albuquerque conta. "Fui para Itabuna e lá recebi apoio moral do prefeito Fernando Gomes que, de imediato, autorizou a reforma completa do meu carro e instalou um novo equipamento de som".
"Ainda me tornei funcionários da prefeitura de Itabuna como fiscal da secretaria de Indústria e Comércio, além de prestar serviços com o meu carro". O mais grave vem a seguir.
"Fui liberado por 90 dias para fazer campanha do seu filho Marcos Gomes, candidato a deputado estadual", diz com todas as palavras, confessando um crime de improbidade e outro eleitoral que pode ter como resultado até a cassação da candidatura.
A matéria do jornal Informativo da Cidade é acompanhada por uma foto de Albuquerque ao lado de seu carro, estampando um enorme adesivo de Markson Oliveira que toma todo o vidro traseiro.
Não é a única suspeita de uso da máquina pública na campanha do filho do prefeito. Fernando Gomes vem fazendo comícios nos bairros, alegando prestar contas à população, mas os moradores denunciam que sempre tem gente de Markson distribuindo santinhos.

Bomba, bomba!!! 2

A matéria de A Região continua, e revela nomes de outros funcionários pagos pela Prefeitura para trabalhar na campanha de Marcos Gomes.

"Outra denúncia, que ainda precisa ser investigada, é a de funcionários da prefeitura que teriam sido deslocados para o comitê de campanha de Markson. Ou seja, recebem da prefeitura mas fariam serviço particular e eleitoreiro.
Entre os nomes citados por funcionários da própria prefeitura estão os de Maria Alice Pereira, secretária de Assuntos Estratégigos que comanda, às claras, a campanha de Markson; Vera Rabelo, assessora de imprensa, que estaria contratando carros de som e midia eleitoral.
Alba, funcionária da Adei, que estaria encarregada de conseguir anistia de débitos com o município; Joana, da Saúde, que "facilitaria" a marcação de consultas vindas a pedido de Markson; Moura, da mesma secretaria, que seria responsável pelos veículos de campanha.
Os funcionários citam ainda Reinaldo e Gil, demitidos da Saúde e recontratados em seguida; Waldir Catarino, Tadeu do Kilo a Kilo, Leléu, Adriana Chucralha, Adeildo Marques, Marino (Itafrio) do Caps, Geomar, Aida (SDS) e Alessandro, que também é diretor da TVI.
Cabe aos vereadores e ao Ministério Público confirmar ou não estas denúncias."

Para ver a edição de A Região, acesse www.aregiao.com.br

Brasil conquista hexa em cima da França... no vôlei

Se o futebol foi a nossa desgraça, o vôlei é a redenção. Acaba de conquistar o hexacampeonato na Liga Mundial. Adivinha contra quem??? Ela mesma, a França. Sensação nas finais da Liga, o time da marselhesa quase surpreende o Brasil ao meter 2 sets a 0. Mas não foi páreo para o talento e a garra da nossa seleção.

Os europeus venceram as primeiras parciais em 25-22 e 25-23. O selecionado de Bernardinho mostrou a fama de campeão. Foi para cima e meteu 22-25 e 23-25. No tie-brack, o Brasil confirmou o favoritismo e meteu 13-15.

Em ano de Copa da Alemanha, quem trouxe o hexa foi o vôlei. Em cima da França. Ah, eles têm o Zinedine Zidane desse esporte. Chama-se Ruette. Do outro lado, encontraram uma seleção de verdade. Ficaram na muralha. As finais da Liga foram disputadas em Moscou, capital russa.

De olho na grana da companheirada

Vejam, abaixo, a explicação lógica. A matéria não é o que parece.

UOL

27/08/2006 - 00h00
Políticos do PT são os que têm o maior avanço patrimonial

FERNANDO RODRIGUES


# com variação de 83,7%, petistas são os campeões entre os grandes
# valor médio de pefelistas é o maior: R$ 3,196 milhões

Os políticos vencedores do PT nas eleições de 1998 e de 2002 são os que apresentam, entre as siglas de maior porte, a mais robusta variação patrimonial em quatro anos. Os petistas tiveram um aumento do seu patrimônio médio de 83,7% em quatro anos, um percentual bem acima da inflação do período (27,2%, segundo o IPCA).

Esse dado pode ser comprovado com as informações do livro "Políticos do Brasil" (Publifolha, 424 págs.), lançado neste fim de semana. Os dados usados no livro estão abertos para consulta no site www.politicosdobrasil.com.br.

Apesar de os petistas registrarem um avanço patrimonial bem superior ao de políticos do PFL (cuja taxa foi de 49%), PMDB (45,7%) e PSDB (37,6%), é necessário registrar que os integrantes do PT partem de uma base monetária bem menor.

O patrimônio médio dos petistas que venceram as duas eleições pesquisadas foi de R$ 102,7 mil em 1998 e de R$ 188,5 mil em 2002.

Já os outros políticos de siglas mais tradicionais partem de uma valor bem mais elevado na eleição de 1998. Os vencedores do PFL tinham um patrimônio médio de R$ 2,144 milhões em 1998. Pularam para R$ 3,196 milhões em 2002.

Os peemedebistas saíram de R$ 971,7 mil em 1998 para R$ 1,416 milhão em 2002. Os tucanos pularam de R$ 1,063 milhão em 1998 para R$ 1,463 milhão em 2002.

Lula sobe para 49%, Alckmin vai a 22% e Heloísa cai para 9%, diz Estado/Ibope

Nova pesquisa de âmbito nacional, feita pelo Ibope para o jornal O Estado de São Paulo, confirma o Datafolha e mostra Lula com 60% dos votos válidos.

A 34 dias das eleições, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vive num mar de rosas e o oposicionista Geraldo Alckmin (PSDB) entra num redemoinho que pode deflagrar uma crise em sua campanha: pesquisa Estado/Ibope que foi a campo entre quarta e sexta-feira mostra que Lula subiu 2 pontos porcentuais e chegou aos 49% (47% há 9 dias), enquanto Alckmin subiu 1 ponto e foi para 22% (21% há 9 dias). O novo resultado não deixa dúvidas: o horário eleitoral, que segundo Alckmin mudaria tudo, após duas semanas foi insuficiente sequer para arranhar a vantagem de Lula.

O mais complicado para o tucano é que, se ele e Lula subiram dentro da margem de erro da pesquisa, a terceira colocada, a candidata Heloísa Helena (PSOL), caiu 3 pontos e desceu para apenas 9%, diminuindo ainda mais a possibilidade de haver um segundo turno. Agora, a vantagem do presidente sobre os demais adversários é de 15 pontos porcentuais (11 pontos há 9 dias); ele tem 49% e a soma dos adversários é de 34%, diferença que ameaça consolidar uma decisão no primeiro turno.

Apesar da vantagem, a intenção de voto em Lula continua a ser muito heterogênea: ele segue sendo imbatível no Nordeste (onde alcança 68%), fortaleceu-se muito no Norte/Centro-Oeste (onde subiu de 47%, há 9 dias, para 52%), cresce substancialmente no Sudeste (de 37% para 43% em 9 dias), mas continua com uma intenção de voto modesta no Sul, onde demonstra sua pior performance nesta eleição (tem 35%).

O texto completo você confere em

http://www.estadao.com.br/ultimas/nacional/
eleicoes2006/noticias/2006/ago/26/122.htm

É só copiar o link e colar na barra de endereços..

Ed Ferreira faz a foto!!!


ED Ferreira flagrou o pior momento de ACM na sexta-feira, em Ilhéus

26 agosto 2006

Nem tudo está perdido - vão comprar papel higiênico para o Hospital de Base

A Fundação de Assistência à Saúde de Itabuna (Fasi), instituição que administra o Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães, publicou aviso de licitação para a compra de material de limpeza e higiene.

Tudo indica que nos próximos dias, haverá papel higiênico no hospital. Ufa!

Pancadaria no protesto da vassoura

O pessoal do Sindicato dos Bancários precisa entender que esse pessoal da direitona ainda é meio primário quando o assunto é fazer manifestação. Eles têm pouca prática e, geralmente, sentem a tentação pelo uso da violência (sabe como é, questão de hábito).

Aí vai o pobre do Chicão exercer seu legítimo direito de expressar sua preferência política e ostentar um adesivo de Luís Sena, candidato do PC do B a deputado estadual. Isso no meio do protesto contra a tal sabotagem da cacauicultura.

A turma do protesto, que sempre esteve do outro lado - o que reprime manifestações pacíficas - não entende muito essa coisa estranha chamada democracia. Aí já viu... Sobrou para o coitado do sindicalista.

Esses cururus até que são gente boa, mas precisam ter mais habilidade para lidar com gente que ainda não atingiu um grau tolerável de evolução. É preciso paciência, comunas!

Ubaldo e Renato de olho na Prefeitura


Ubaldo Dantas forma chapa com Antônio Imbassahy na eleição para o senado. Renato Costa é candidato do PMDB a deputado estadual. O primeiro ex-prefeito de Itabuna (1982-1988). O outro, ex-vice-prefeito (1988-1992). Estiveram na chefia do executivo municipal em períodos diferentes, mas agora querem retornar, juntos, candidatos a prefeito e a vice, em 2008.

O plano foi anunciado neste fim de semana pelo colunista político Marco Wense, no jornal Diário do Sul. Referindo-se aos símbolos dos partidos de Ubaldo e Renato, o artigo diz que será o casamento do tucano com a pomba.

Mas quem conhece Ubaldo, diz que a ave com a qual ele mais se assemelha é o pavão, obviamente pela vaidade e mania de aparecer. Já Renato Costa é comparado ao avestruz, não pela velocidade da ave, mas pela timidez e vocação para se esconder nos momentos decisivos.

Em sua passagem pelo cargo de vice-prefeito, junto a Fernando Gomes, Renato não teve habilidade política para se impor e acabou sendo expulso de seu gabinete pelo chefe. Em campanhas eleitorais, é apontado pela falta de ousadia e desapego ao risco, fatores essenciais para a vitória.

Renato foi candidato a prefeito em 1996, com o apoio de Geraldo Simões. Tinha o atual presidente do PT de Itabuna, Eduardo Barcelos, como vice. Dizem que ele irritava os coordenadores da campanha por sua apatia. Foi com muita luta que se conseguiu levar o Dr. Renato a uma quase vitória nas eleições (perdeu por uma diferença pequena).

Ubaldo e Renato fizeram parte da coligação que levou Geraldo Simões pela segunda vez ao poder, em 2000. O tucano queria a Secretaria de Saúde, mas o prefeito já havia se comprometido a entregá-la a Renato, que indicou o seu pupilo, Edson Dantas. E o resto da história todo mundo sabe.

Ubaldo e Renato na Prefeitura. Está aí uma coisa que este blog gostaria de ver. Nada mais apropriado do que dois médicos para curar os males de Itabuna. Políticos conhecidos, experimentados, que facilitariam a avaliação do eleitor. Quanto ao sucesso de uma eventual administração, dependeria de que o pavão desse menos atenção à plumagem. E o avestruz teria que tirar o pescoço do buraco.

Operação-abafa esconde desmaio de ACM



Foi pior do que pareceu. Um amigo deste blog e que acompanhou as andanças do senador ACM no sul da Bahia, garante: ele não apenas teve um mal-estar. Também sofreu um desmaio quando chegou a Ilhéus ao final da tarde de ontem. Houve quem pensasse no GF.

O senador se recuperou a tempo e, ainda, fez discurso para o povo que esteve no comício na terra de Gabriela, tendo ao lado o belo Teatro Municipal. Antes, o "cabeça branca" havia caminhado por três cidades, Itajuípe, Almadina e Coaraci.

Deu na Istoé

"Os números tucanos
Mil entrevistas diárias por telefone indicam aos tucanos que eles têm o melhor programa de televisão, com as avaliações positivas sobre Geraldo Alckmin em crescimento. Lula, para eles, está estabilizado. Na quinta-feira 24, as apurações deste tracking registravam 44% de preferências para Lula, 30% para Alckmin, 12% para Heloísa Helena e 1% para Cristovam Buarque. É o segundo turno que se avizinha, dizem. Muitos têm na ponta da língua erros recentes dos institutos de pesquisas. Lembram que, em 2004, José Serra bateu Marta Suplicy, em São Paulo, por sete pontos porcentuais de vantagem, apesar de na véspera o Ibope ter dado um empate de 35% a 35%. “É ter paciência e manter o rumo”, formulam."

Comentário do blog: Você percebeu alguma diferença entre o que a nota da Istoé diz no início e o seu conteúdo? Basta observar. Se Lula tem 44% das preferências, como Alckmin (30%) lidera como o melhor programa de TV??? Só há uma verdade na nota. Com maior visibilidade, o tucano teria mais chances de chegar ao segundo turno. Esse povo da Istoé...

"Viés de Lula"

O termo tão usado no mercado financeiro (viés) chegou à política - eles se apropriam de tudo que é termo, ou inventam novos (como neobobos, né FHC??). Agora, criaram o "Viés de Lula" para falar do crescimento do presidente ou indicar que alguém está em alta nas pesquisas. A conservadora revista Veja traz na coluna Radar desta semana uma nota que dá bem a idéia de como anda a paixão do brasileiro pelo seu presidente. Reproduzimos a nota, na íntegra:

"Viés de subida"

"Pesquisas, via telefone, feitas na quarta e quinta-feira passadas apontavam para uma nova e discreta subida de Lula. Eram os resultados tanto das pesquisas encomendadas pelo PT como das pedidas pelo PSDB."

A morte dos comícios

A Veja (argh!!!) deste final de semana chama atenção para um fato: comícios são coisas do passado. Leia, abaixo.

"Os comícios começaram a se popularizar no Brasil durante os anos 40 do século passado, chegaram a reunir grandes multidões em torno de um palanque e já foram o principal meio pelo qual um candidato falava ao eleitor. A atual campanha presidencial, no entanto, está mostrando que os comícios estão à beira da morte. Até agora, os dois principais candidatos ao Palácio do Planalto realizaram apenas 22 comícios, número inexpressivo se comparado ao registrado em campanhas anteriores, em que os candidatos faziam até mais de um por dia. Além de poucos, eles têm sido um fracasso de público.

"O Brasil arcaico era o Brasil dos comícios. Hoje, estamos na era da ciberdemocracia, numa sociedade de massas cujo grande instrumento de informação é a TV", diz o cientista político Octaciano Nogueira, da Universidade de Brasília (UnB). Os comícios já vinham definhando havia bastante tempo, mas, nos últimos vinte anos, os políticos conseguiram dar-lhes uma sobrevida enchendo seus palanques de artistas e celebridades para atrair o público.

Agora, como a lei eleitoral deste ano proíbe a presença de artistas nos palanques, os showmícios acabaram – e os comícios, reduzidos à sua forma original, mostraram toda a sua inadequação à modernidade. "Está claro que as pessoas iam aos comícios para ver os artistas, e não para ouvir os candidatos", diz Nogueira. No seu último comício, realizado em Parnaíba, no interior do Piauí, Alckmin reuniu apenas 5 000 pessoas. O presidente Lula, em Varginha, no sul de Minas Gerais, falou para menos de 8 000.

Trata-se de um público magro demais para mobilizar toda a estrutura de uma campanha. "E comício não é barato. Não sai por menos de 80 000 reais", diz Paulo Ferreira, coordenador do comitê reeleitoral do PT. Na eleição presidencial de 2002, Lula fez 58 comícios e, num deles, chegou a reunir 150 000 pessoas – contando com a ajuda, claro, da dupla sertaneja Zezé Di Camargo & Luciano. Desta vez, Lula, que adora fazer discurso e tem facilidade para se comunicar com a massa, não fará nem trinta comícios. Sinal dos tempos."

Os políticos estão nus. Viva Fernando Rodrigues

UOL

Estréia no UOL "Políticos do Brasil"
CRIS GUTKOSKI
Editora do UOL Eleições

Site traz banco de dados com declarações de bens de políticos eleitos em 98 e 2002 e candidatos em 2006

Em 1998, quando concorria a outro cargo, um candidato a presidente em 2006 não registrou qualquer conta bancária na sua declaração de bens, ainda que já ostentasse, à época, mais de 20 anos de vida pública. Cassado e tornado inelegível nos anos 90, um agora aspirante à Câmara dos Deputados se elege vereador em outubro de 2004 e em junho de 2005 adquire um apartamento numa cidade turística famosa pelas baixas temperaturas, no mesmo condomínio onde possui outro apartamento. Um ex-prefeito que se elegeu e reelegeu deputado estadual declara em 2006 possuir um patrimônio menor do que em 1998, quando era empresário. Detalhe: dispõe de R$ 95.000,00 "em espécie", segundo a lacônica lista enviada este ano à Justiça Eleitoral.

O site Políticos do Brasil (www.politicosdobrasil.com.br), no UOL, resultado de uma vasta pesquisa realizada pelo jornalista Fernando Rodrigues ao longo de cinco anos, coloca à disposição do internauta um banco de dados que muitos políticos preferem ver inacessível. São milhares de declarações de bens dos candidatos majoritários e proporcionais de 1998, 2002 e 2006, acompanhadas de informações como o número do CPF dos políticos, seus gastos declarados nas campanhas de 1998 e 2002 e suas estimativas de gastos para 2006.

No total, há informações (de todos os Estados e do Distrito Federal) sobre 2.177 candidaturas de 1998, sobre 2.376 nomes que concorreram em 2002 e sobre 20.134 candidatos que estão disputando a eleição de outubro próximo, nos cargos de presidente, vice-presidente, governador, vice-governador, senador, suplentes de senador, deputado federal, estadual e distrital. A publicação dos dados privilegiou os candidatos eleitos em 1998 e 2002, incluindo os nomes dos políticos derrotados apenas nos cargos de presidente, vice-presidente, governador e senador.

Acesso difícil nos Estados
Fernando Rodrigues apresenta dados inéditos, obtidos nos Tribunais Regionais Eleitorais e no Tribunal Superior Eleitoral, em 3.570 registros sobre o patrimônio declarado de candidatos eleitos, para todos os cargos, em 1998 e 2002. Para a eleição de 2006, por exemplo, o site do TSE disponibiliza desde julho as informações sobre os bens dos políticos em campanha e suas previsões de gastos. Mas o acesso aos documentos dos pleitos anteriores, apesar de público, era mais difícil. Não foram poucas as dificuldades enfrentadas pelo jornalista e pesquisador junto aos tribunais regionais. Um desembargador chegou a sugerir que, para a pesquisa avançar, todos os políticos eleitos no Estado, naquele ano, precisariam autorizar a divulgação dos dados. Outro tribunal promoveu uma sessão para votar se permitia ou não a publicação das informações que o próprio TSE declara de caráter público. A sessão acabou vetando o acesso, com base em excêntricos questionamentos sobre a identidade e os poderes do jornalista.

Vencidos os empecilhos como a falta de informatização e mesmo de regras claras, o banco de dados Políticos do Brasil está agora disponível num site de grande audiência. Com a seqüência de três eleições na mão, o eleitor pode fazer por conta própria, acessando no site os fac-similes das declarações de bens, a avaliação de como evoluíram os patrimônios dos candidatos nos últimos oito anos.

Para o jornalista, que é colunista do UOL desde 2000, o conhecimento de informações como o patrimônio declarado e o CPF do candidato é um direito do eleitor, e esta radiografia da vida política brasileira contribui para a transparência do processo eleitoral no país. "Pela primeira vez, os eleitores e estudiosos terão acesso facilitado à informação dessa natureza sobre os políticos escolhidos para comandar o Brasil", afirma.

Rodrigues considera o conhecimento do CPF (Cadastro da Pessoa Física) do candidato uma ferramenta relevante para a hora de definir o voto. "Sabendo esse número, que não é sigiloso, apenas difícil de ser obtido, o eleitor pode checar a situação dos candidatos a cargos públicos junto à Receita Federal e outros órgãos governamentais", ele sublinha, ressaltando que pendências na situação fiscal nem sempre são sinônimo de irregularidade.

Quatro modalidades de busca
Aos interessados em investigar a vida do provável candidato escolhido em 2006, ou em descobrir mais sobre os homens e mulheres merecedores de voto em 1998 e 2002, o site Políticos do Brasil oferece quatro modalidades de busca. Dá para procurar os nomes por ordem alfabética, por partido, por unidade da Federação e por cargo disputado. As quatro buscas são válidas para os anos de 1998, 2002 e 2006.

Bastam alguns minutos de cruzamento de dados - comece a busca pelos políticos que circulam no seu bairro, ou pelos mais famosos, ou pelos mais importantes - e as curiosidades ou estranhezas começam a se acumular. Há concorrentes a cargos majoritários com décadas de vida pública que aparentemente ainda não conseguiram adquirir a casa própria, a ser levada a sério a declaração oficial de bens. Em contrapartida, há também os donos de diversos imóveis, adquiridos em quatro ou oito anos. E há os que adaptam o valor dos bens a cada eleição.

Um ex-ministro que já foi deputado federal, por exemplo, reduziu o valor da mesma casa, no mesmo endereço, de R$ 80.000,00 em 1998 para R$ 54. 651,83 na declaração deste ano. Múltiplos fatores podem ter contribuído para a mudança que, apenas nesse item, subtraiu cerca de R$ 25.000,00 do patrimônio. Um incêndio, uma súbita desvalorização do bairro por conta da violência crescente nas cidades, mesmo um sismo no jardim pode ter abalado as estruturas da casa e desvalorizado o imóvel. Não se pode culpar os políticos brasileiros pela falta de incentivo à imaginação do eleitor.

A Lei Eleitoral não obriga os candidatos a atualizarem o valor de seus imóveis segundo os movimentos do mercado. O exemplo dado por um dos atuais candidatos a presidente, que desde 1998 aproxima o preço de seu apartamento ao divulgado pelas imobiliárias, é uma exceção à regra. A maioria prefere manter o antigo valor fiscal dos bens. Mansões ou coberturas dúplex com piscina em bairros nobres de capitais surgem nessas declarações de bens de 2006 como se equivalessem a um apartamento quarto-e-sala. Mas o eleitor sempre pode indagar por que interessa a alguns políticos ocultar a própria identidade, considerando que entre as identidades possíveis da vida pública está a de milionário. O perfil dos candidatos mais ricos merece a análise de Fernando Rodrigues no livro "Políticos do Brasil" (Publifolha, 424 páginas, R$ 39,90), que chega às livrarias juntamente com o lançamento do site.

O livro

A pesquisa do jornalista revela a concentração da riqueza também no meio político. Em 1998, entre os eleitos, 273 declararam possuir patrimônio superior a R$ 1 milhão. Apenas 18 políticos (1% do total) concentravam R$ 663 milhões de bens pessoais declarados, ou 38% do patrimônio total dos 1.780 eleitos naquele pleito. Fernando Rodrigues verifica que, quatro anos depois, a concentração que já era grande se acentuou: em 2002, os 18 políticos mais ricos (1%) passaram a abarcar 50% do patrimônio total dos eleitos.

"Políticos do Brasil", o livro, se divide em seis capítulos: 1) Coleta de dados, metodologia e histórico de estudos correlatos; 2) O patrimônio dos políticos e sua evolução; 3) Os políticos e sua riqueza; 4) Perfil dos políticos do Brasil; 5) Os milionários e 6) A "classe média" entre os políticos e um caso para estudo (o "mensalão"). Os apêndices reproduzem tabelas utilizadas nas análises, com os nomes de todos os candidatos eleitos em 1998 e 2002, com cargo, partido, Estado, votação obtida e número do CPF.

No prefácio, Leôncio Martins Rodrigues, ex-professor da USP (Universidade de São Paulo) e da Unicamp (Universidade de Campinas), escreve que a democracia decorre do grau de vigilância que os governados possam exercer sobre os que governam: "O controle do poder dos que têm o poder implica iluminar as áreas que todos os governantes preferem manter na obscuridade".

O autor da pesquisa que a partir de agora servirá de ponto de partida para várias outras pesquisas destaca uma frase de que gosta muito, promovida a epígrafe do volume: "A luz do Sul é o melhor desinfetante", do juiz da Suprema Corte dos Estados Unidos Louis Brandeis. Em tempos sombrios de denúncias de corrupção e desapontamentos de variada espécie, o histórico das despesas e das aquisições privadas que se sucedem às eleições serve como uma arma pacífica, de acesso doméstico, uma providencial lente de aumento para enxergar melhor as teclas da urna.