30 março 2008

A favor do progresso

Marcel Leal

Ilhéus passou décadas querendo obras para crescer. Hoje, com o anúncio de um super complexo com porto, aeroporto e pólo industrial, alguns egoístas resolvem ficar contra o projeto.

São inimigos do progresso, desenvolvimento de Ilhéus. Gente que prefere ver a cidade intocada, mas largada às moscas, como um naco velho de carne que nem os cachorros querem.

Mas afinal quem está contra este projeto, que qualquer cidade do mundo daria os olhos para ter? É fácil identificar, começando pelos especuladores.

Um dos “resorts” sequer tem projeto arquitetônico e mandou fazer um, às pressas, em São Paulo. Não vai colar. Assim como não cola a conversa mole de alguns hoteleiros da zona sul que têm medo da zona norte crescer.

É que um porto não atrai só trabalhadores. Atrai infra-estrutura, urbanização, melhores estradas...

Coisas que ajudam a trazer empreendimento turísticos. Para o norte.

Os argumentos dos inimigos do progresso de Ilhéus são débeis.

Alegam que haverá poluição, que o minério será jogado nos rios, na praia, que o projeto vai esgotar as águas... quanta besteira! Ou são muito obtusos ou usam má-fé ao repetir esse monte de bobagens.

O Porto Sul é projeto de última geração, usando tecnologia de ponta e reciclagem para preservar o meio ambiente. Ele será menos danoso para o meio ambiente que pousadas que nem fossa séptica têm, que jogam o esgoto direto no mar, por exemplo.

Chegam a usar a alucinação de que um dos resorts teria 7 mil empregos. Quantos? Talvez todas as pousadas e hotéis de Ilhéus juntas não ocupem 7 mil empregados.

Não é com esses argumentos infantis que se impõe uma opinião.

E que tal o discurso apocalíptico de que o Porto Sul vai “devastar a Mata Atlântica com a estrutura do retroporto”? Quem fala não conhece a área, nem o projeto.

Ou talvez não saiba distinguir entre mata nativa e plantada. Tudo bem, nem todo mundo sabe. Mas daí a falar do que não sabe...

Outra balela é que os resorts ao norte de Ilhéus vão sair daqui por causa do porto. Besteira destilada que pago para ver acontecer.

O porto não vai ocupar mais que uma tripa na praia, tendo movimento a 3 km dentro do mar e a 2 km dentro da terra.

Nenhum resort vai “se tornar inviável” ou desistir de Ilhéus por causa do porto. Nenhum rio vai secar. Você não terá acne nem erisipela por causa dele.

O que vai acontecer é Ilhéus multiplicar sua arrecadação, como foi em Mucuri (Veracel), Campos (petróleo) e vai acontecer com Camamu (gás).

O que vai acontecer é progresso, crescimento, nova fonte econômica, de renda e de empregos.

O engraçado é que os aloprados que são contra o Porto Sul defendem que ele seja em um dos outros quatro locais estudados pelo governo estadual.

Mas não explicam (ou não querem que saibam) que os outros locais também contém áreas de mata atlântica, até mais que o escolhido. Aí o “impacto ambiental” é aceitável?

Sem contar que, para eles, derrubar a mata atlântica para fazer, por exemplo, um campo de golf dentro de um resort para poucos é aceitável.

Mas para construir um porto e um aeroporto de nível internacional e um pólo de tecnologia..., aí, nem pensar.

Fico aqui imaginando se o governo levasse todo o projeto para, digamos, Maraú ou Valença.

Daqui a cinco anos os ilheenses iam estar como os gaúchos em relação à fábrica da Ford, que mudou para a Bahia pelos mesmos argumentos bestas dos que são contra o Porto Sul.

Assim como a Ford, o complexo vai atrair outras empresas ligadas às áreas portuária, aeroportuária, logística, de manutenção, de fretes, diversão, etc...

Viva o Porto Sul.

4 comentários:

Anônimo disse...

PARABENS...VOCÊ EXPOS DE UMA MANEIRA SIMPLES E DIRETA O QUE É O PORTO SUL PRA NOSSA AMADA ILHÉUS...CONCORDO PLENAMENTE COM VOCÊ...MAS LIGA NÃO..ISSO É "INTRIGA DA OPOSIÇÃO" KKKKKKKK

Anônimo disse...

Zelão, Analisa:

" Em verdade vos digo; aqueles que estiverem contra mim, não herdarão o reino do céu" (Palavras do deus Marcel).

Jerbini Santini disse...

Muitos dos que defendem o porto vislumbram o próprio bolso cheio de dinheiro.

No mais, é chover no molhado.

Anônimo disse...

Libélula.

Independente de lados ideológicos, acordem , sabemos que todos os avoanços a nível tecnológicos, possuiem o seu lado positvo e o negativo. Mas não são meia dúzia de pessoas que vão poder impedir que Ilhéus se desenvolva. Vamos ser racionais e lutar para que o projeto do porto venha cercado de cuidados com o meio ambiente. Afinal esse jornalista Marcel Leal, colocou realmente na íntegra o que se passa aqui em nossa cidade.
As pessoas da periferia precisam de trabalho, quantos ilheesses já foram embora em busca do pão de cada dia? Eu quero uma Ilhéus melhor , desenvolvida, com mais emprego, moradia., saneamento básico e etc.
Já que a preocupação de alguns ( Socorro, Gerson, Ramayana) é tão grande com relação ao meio ambiente, porque nunca lutaram para que orgãos competentes notificassem os hotéis por jogarem esgoto nas praias, por desmatarem a mata atlântica, ou por aterrarem os mangues????????
Sinceramente não conheço Marcel Leal mas concordo com ele.

Parabéns caro companheiro, continue desmistificando essas polêmicas com interesses menores.